O PS Porto criticou esta quinta-feira o “comportamento ignóbil” do PSD ao congratular-se com o “puxão de orelhas” do primeiro-ministro aos autarcas de Paços de Ferreira, Lousada e Felgueiras, considerando que revela “falta de solidariedade e sentido de Estado”.

“Estamos a menos de um ano das eleições autárquicas e isso explica o nervosismo do PSD. Mas, neste momento particularmente difícil, a nossa principal prioridade é fazer chegar à população, aos autarcas, aos profissionais e aos responsáveis de saúde uma mensagem de solidariedade, disponibilizando todo o apoio necessário. Precisamos de todos para combater a pandemia e os seus efeitos sanitários, económicos e sociais”, assinala a Federação Distrital do Porto do PS em comunicado.

O PSD/Porto disse esta quinta-feira que a reunião do primeiro-ministro, António Costa, com os presidentes de Paços de Ferreira, Felgueiras e Lousada sobre o aumento de casos de Covid-19 foi “um puxão de orelhas” aos três autarcas do PS.

Mostrando-se surpreendidos e indignados com comunicado da sua congénere do PSD, a distrital socialista repudia a “visão sectária” dos social-democratas.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Para o PS, o PSD “faz provocações levianas que em nada ajudam ao esforço de contenção da transmissão da Covid-19″.

“Esta pandemia atinge todos por igual. Não conhece ideologias políticas nem opções partidárias”, sublinham os socialistas.

O PS/Porto saúda a deslocação do primeiro-ministro a Paços de Ferreira, onde reuniu com os responsáveis locais, “numa atitude de proximidade institucional assente num sentido de compromisso e procura de respostas aos efeitos da pandemia”.

A estrutura socialista salienta que o PS, os seus autarcas e dirigentes continuarão concentrados no trabalho “em defesa de todos sem olhar à cor partidária de quem governa as autarquias, como já foi amplamente demonstrado”.

O primeiro-ministro afirmou na quarta-feira, em Paços de Ferreira, que o Serviço Nacional de Saúde (SNS) terá “resposta para as necessidades” face ao previsível aumento de infeções pelo novo coronavírus na região do Vale do Sousa.

Os concelhos de Felgueiras, Lousada e Paços de Ferreira, onde os casos de Covid-19 têm estado a aumentar nos últimos dias, vão ter em vigor o dever de permanência no domicílio a partir das 00:00 de sexta-feira, decretou esta quinta-feira o Governo.

Em conferência de imprensa após o Conselho de Ministros, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, explicou que as populações dos três concelhos têm o “dever de permanência domiciliária, com exceção de um conjunto de atividades, à semelhança do que tinha acontecido no passado no conjunto de 19 freguesias [na Grande] Lisboa”.

Nos três concelhos ficam também em vigor a proibição de quaisquer eventos com mais de cinco pessoas, bem como a obrigatoriedade de os estabelecimentos encerrarem às 22:00. Ficou ainda definido o teletrabalho obrigatório para todas as funções que o permitam.