Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

João Ataíde, coordenador do Gabinete de Inspeção do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), demitiu-se esta terça-feira na sequência do caso de um cidadão ucraniano, Ihor Homeniuk, a 12 de março nas instalações daquele órgão de polícia criminal no Aeroporto de Lisboa, avançou o Jornal de Notícias.

A demissão de João Ataíde surge depois da intervenção de Eduardo Cabrita, ministro da Administração Interna, na Assembleia da República. O governante admitiu que o coordenador e outros 12 inspetores estariam a ser investigados num processo disciplinar sobre as circunstâncias que levaram à morte de Ihor Homeniuk.

SEF. Cabrita admite “erros” mas fica (e anuncia reforma para janeiro)

Quatro dias depois daquela morte, o Gabinete de Inspeção emitiu um parecer onde se afirmava que, tendo em contas as imagens de videovigilância, o serviço “não encontrou indícios de agressões e maus tratos a esse cidadão”. O documento, que Cabrita considerou “extremamente grave”, foi assinado por João Ataíde.

Esta é a quarta demissão no seio dos Serviço de Estrangeiros e Fronteiras desde que o caso de Ihor Homeniuk se tornou público. Cristina Gatões, diretora nacional do SEF, demitiu-se na última quarta-feira. Sérgio Henriques e Amílcar Vicente, diretor e diretor-adjunto de Fronteiras de Lisboa, afastaram-se a 30 de março.