A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) divulgou um comunicado no qual alerta que Cláudio André, que utiliza o Instagram e um site para vender cursos de investimento, não está “autorizado nem registado junto da CMVM para o exercício de qualquer atividade de intermediação financeira em Portugal”. Além disso, a entidade diz que “a referida pessoa não se encontra legalmente habilitada para realizar publicidade ou prospeção de clientes dirigidas à celebração de contratos de intermediação financeira”.

Windoh diz que recebe ameaças de morte. Empresa de cursos de criptomoedas não está registada na CMVM

Uma das publicações de Cláudio André

Através de vídeos nesta rede social, na qual acumula cerca de 34,5 mil seguidores, Cláudio André promete acesso a um estilo de vida luxuoso com frases como “cinco ordenados numa semana” ou “cinco maneiras de fazer dinheiro”. Para saberem mais, os utilizadores são convidados a seguir a página de Cláudio André e visitar o seu site oficial, no qual são incentivados a comprar cursos de investimento que podem custar até 200 euros.

É burla ou não? O que dizem os especialistas sobre os cursos de criptomoedas de Windoh

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

No início de março, e após as notícias do Observador e de outro órgãos de comunicação social sobre o tema, a CMVM lançou um comunicado semelhante a alertar que a Blvck network, empresa da qual Diogo Figueiras — também conhecido como o youtuber Windoh –, é sócio, “não está autorizada nem registada junto da CMVM para o exercício de qualquer atividade de intermediação financeira em Portugal”. Windoh usava esta empresa para vender por cerca de 400 euros cursos online de criptomoedas que se tornaram polémicos. Depois de terem sido pirateados, este caso levou à abertura de, pelo menos, duas investigações pelo Ministério Público.

Diamantes, Lamborghinis e promessas de lucro. Como o luxo de David GYT se transformou em queixas, denúncias de práticas ilegais e ameaças

Além de Windoh, outros youtubers, como Numeiro ou DavidGTY, estão envoltos em críticas devidos aos cursos e projetos que lideram e que prometem ajudar os seguidores a ganhar dinheiro através de criptomoedas. A CMVM diz que “para assegurar que uma determinada entidade que oferece serviços de investimento em instrumentos financeiros está autorizada a exercer atividade em Portugal, deve consultar a lista de intermediários financeiros autorizados (através deste link) ou a lista de entidades habilitadas a prestar serviços financeiros em Portugal em regime de Livre Prestação de Serviços (LPS) (através deste link).

A entidade reguladora deixa ainda um pedido sobre Cláudio André: “Todas as pessoas e entidades que tiverem estabelecido qualquer relação comercial com a entidade acima identificada poderão contactar a CMVM através do número 800 205 339 (linha verde), ou por e-mail para cmvm@cmvm.pt”.