Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Foi há 40 anos, no dia 4 de Maio de 1979, que Margaret Thatcher se tornou a primeira mulher a ocupar a posição de primeira-ministra no Reino Unido. Ao servir nessa posição até 28 de Novembro de 1990, Thatcher tornou-se também na personalidade política que esteve mais tempo na liderança do governo no Reino Unido em todo o século XX e na parte já decorrida do século XXI (os dois registos seguintes mais longos neste período foram os de Tony Blair, que esteve pouco mais de 10 anos, e o de Winston Churchill, com um total um pouco inferior a 9 anos). Mas, ainda que estes sejam dados factuais relevantes, o impacto histórico e a relevância política de Margaret Thatcher vão muito além destes dois aspectos.

Considerando que para uma parte não negligenciável dos leitores falar de Margaret Thatcher é aludir a uma figura exclusivamente histórica — e também para efeitos de contextualização — o presente ensaio começa por uma breve panorâmica geral dos principais aspectos da sua carreira política. Seguidamente são elencadas as principais marcas da governação da Dama de Ferro no plano interno, assim como no plano externo. Finalmente, procuram identificar-se quais as principais lições que podemos aprender com Thatcher nos dias de hoje, em especial no contexto do espaço político de centro-direita e das ideias liberais e conservadoras.

Uma trajectória invulgar

À semelhança de uma parte significativa da elite política britânica, Margaret Thatcher estudou em Oxford mas as semelhanças ficam-se essencialmente por aí. Oriunda de um contexto familiar não particularmente abastado (o pai era merceeiro e pastor metodista), Thatcher estudou Química em Oxford e não as áreas mais comuns para futuros políticos (para elencar apenas alguns dos exemplos mais recentes: Theresa May estudou Geografia em Oxford, David Cameron e Edward Heath estudaram Philosophy, Politics and Economics também em Oxford, Gordon Brown estudou História em Edimburgo e Tony Blair Direito em Oxford).

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.