Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

São 300 mil pessoas, a maioria delas idosas, 290 mil das quais com conta na CGD que usam uma caderneta para actualizar os seus movimentos na conta bancária e para levantarem dinheiro. Desde dia 14 de Setembro estão impedidas de o fazer “por causa de legislação europeia que reforça os critérios de segurança” – dizem os bancos envolvidos que, além da CGD são o Montepio e o Crédito Agrícola. A alternativa que colocam a estas pessoas é terem um cartão e pagarem por ele.

Mas isto faz sentido? Legislação europeia sobre serviços de pagamentos, numa era digital, a ter o seu maior e visível efeito nos idosos que não se conseguiram libertar da caderneta da Caixa? E no resto da banca não aconteceu nada?

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.