Churchill e Orwell: A Luta pela Liberdade, de Thomas E. Ricks (Edições 70) é a minha primeira recomendação de livros para o Natal — mas, gostaria que fosse notado, não para a ‘época festiva’ ou para as ‘férias da estação’, como mandam as actuais directivas politicamente correctas.

O livro, de que o Observador fez uma pré-publicação, tem a grande vantagem politicamente incorrecta de associar dois parceiros improváveis (segundo os padrões politicamente correctos) na luta comum pela liberdade: o conservador Winston Churchill e o progressista George Orwell (Eric Blair, de seu nome de baptismo).

O autor do livro, Thomas E. Ricks, é claramente mais progressista do que conservador (o que, às vezes, torna a sua prosa desnecessariamente juvenil). Mas, de certa forma, isso também torna o seu argumento mais tocante — sobretudo na época actual de tribalização e radicalização entre patéticos tribalismos rivais.

Para ajudar a superar esses tribalismos e compreender a convergência liberal entre conservadores e progressistas no Ocidente, dois outros livros podem também ser úteis.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.