Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Já não sei quem é que dizia que não há pior problema do que ignorar que há problema. Parece uma charada, mas é uma verdade literal. E um princípio constante para muitos cidadãos com responsabilidades políticas.

Tomemos como exemplo o nosso Primeiro Ministro e o seu inesperado mea culpa, captado no momento em que atravessava os corredores da Assembleia da República e foi interpelado por pessoas em cadeira de rodas.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.