Rádio Observador

Primárias No PS

Os conselheiros de Seguro e Costa

Nos quatro longos meses de campanha eleitoral interna do PS, os dois candidatos escolheram a tropa. Seguro manteve a direção do partido (quase) unida e Costa recrutou no Parlamento.

Ao telefone, por sms, pessoalmente, em reuniões, em comícios, na rua ou na internet, Seguro e Costa reuniram o pessoal de confiança, muitos amigos de longa data, para preparar estratégias, alinhar discursos e definir programas.

Passaram quatro meses desde que António Costa desafiou a liderança de António José Seguro. O líder do PS respondeu com a marcação de eleições primárias e os dois candidatos estão desde então em campanha para convencer militantes e simpatizantes. Para o conseguir, juntaram uma equipa mais ou menos presente nas relações do dia-a-dia com os candidatos.

António José Seguro manteve em linha aberta a maior parte dos membros da direção do partido, que continuam fiéis ao líder do partido. Álvaro Beleza, Eurico Brilhante Dias e Óscar Gaspar são uma espécie de três mosqueteiros em defesa do secretário-geral. Na guarda na Assembleia da República, com uma bancada parlamentar fragmentada nos apoios nestas primárias, está Alberto Martins.

Ainda no Parlamento, Seguro tem o deputado João Soares – bastante ativo também nas redes sociais – e Francisco Assis.

Seguro escolheu ainda dois pesos pesados para o ajudarem a dar a voz pela candidatura: Manuel Machado, presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses, é o mandatário da campanha e João Proença, o diretor.

No terreno e na organização de estruturas, o líder do PS conta com o apoio de Miguel Laranjeiro (também deputado) e António Galamba. Nesta equipa, que funciona como o conselho de opinião do secretário-geral, está ainda Isabel Coutinho, líder das mulheres socialistas.

Seguidores-seguroAntónio Costa reuniu uma equipa próxima maior que a de António José Seguro. No núcleo duro de apoio tem os “jovens turcos”, que ficaram assim apelidados quando mostraram discordância com o líder do PS, António José Seguro, no início de 2013. Os deputados Pedro Nuno Santos (também líder da Federação de Aveiro), Pedro Delgado Alves, João Galamba estão no núcleo de “jovens turcos” a que se junta também o deputado e líder da distrital de Lisboa, Marcos Perestrello.

Nos pesos pesados, António Costa tem Carlos César, o mandatário de campanha e Ana Catarina Mendes como diretora de campanha. Pedro Silva Pereira, Ferro Rodrigues, Vieira da Silva e Fernando Medina são os outros quatro nomes mais fortes do núcleo de apoio ao autarca.

Na estrutura conta com Marcos Perestrello e Duarte Cordeiro. E Maria Manuel Leitão Marques tratou do programa “Agenda para a década”

 

 Seguidores-costa

 No domingo, enfrentam-se nas urnas as duas estratégias e as duas equipas e se saberá quem irá disputar as legislativas contra o PSD de Passos Coelho.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)