A China está a levar a cabo uma agressiva ciberguerra contra os Estados Unidos da América, que está a custar ao país milhares de milhões de dólares todos os anos, afirmou no domingo o diretor do FBI, James Comey.

Em declarações ao programa “60 minutos”, Comey disse que a China lidera a lista de países que tentaram roubar segredos das empresas norte-americanas, sugerindo que quase todas as grandes empresas já foram alvo de ataques informáticos.

“Há dois tipos de grandes empresas nos Estados Unidos. As que foram atacadas pelos chineses e aquelas que não sabem que foram atacadas pelos chineses”, afirmou.

Os prejuízos anuais destes ciberataques são “impossíveis de contabilizar”, mas Comey estima que estejam na ordem dos “milhares de milhões”.

Referindo-se aos países que atacam os Estados Unidos, o diretor do FBI disse: “Não quero dar uma lista completa, mas posso dizer que a China está no topo”.

“São extremamente agressivos nas tentativas que fazem para tentar entrar nos sistemas americanos e roubar informação que possa beneficiar a sua indústria”, contou Comey, referindo-se aos ‘hackers’ chineses.

Segundo o diretor do FBI, a China está a tentar obter “informação que seja útil, para que não tenham de inventar [nada]”. “Podem copiar ou roubar [informação] para saberem como uma empresa [norte-americana] vai conduzir as negociações com uma firma chinesa em vários aspetos”, explicou.