Mais de quarenta polícias anti-motim ficaram feridos em confrontos na noite de domingo em Colónia, na Alemanha, com grupos de ‘hooligans’ da extrema-direta que se manifestavam contra o extremismo islâmico, anunciou a polícia.

A polícia usou bastões, gás pimenta e canhões de água contra os manifestantes, que atiraram pedras, garrafas e foguetes contra os agentes da autoridade, disse um porta-voz da polícia à agência AFP, acrescentando que foram detidos cerca de 20 pessoas.

Pelo menos quatro mil apoiantes violentos de clubes de futebol juntaram-se numa marcha sob o tema ‘Hooligans contra os salafistas’, disse o ministro do Interior, Ralf Jaeger, à televisão pública ZDF, especificando que a marcha se tornou violenta quando os manifestantes recusaram a abandonar a zona no final do evento.

A tensão cresceu à medida que os manifestantes gritavam “Fora com os estrangeiros”, de acordo com a agência de notícias estatal DPA e com vários relatos na rede social Twitter.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A iniciativa acabou por atrair um evento de sentido oposto, juntando 500 pessoas, cuja manifestação, chamada ‘Ombro a ombro contra o racismo e o fundamentalismo religioso’, decorreu de forma pacífica.

O grupo ‘Hooligans contra os salafistas’ desenvolveu-se na internet e usa as redes sociais para atrair apoiantes de futebol da extrema-direita e ‘skinheads’ para protestos frequentemente violentos, alegadamente contra o crescimento do extremismo muçulmano na Europa.

Já este mês, os curdos na Alemanha envolveram-se em confrontos com os muçulmanos radicais na cidade de Hamburgo e noutras, em protestos na rua alimentandos pelo conflito que envolve o ‘Estado Islâmico’ na Síria e no norte do Iraque.