A chefe da diplomacia europeia, Federica Mogherini, disse-se surpreendida com o ataque à União Europeia feito nesta segunda-feira pelo presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, pelas críticas de Bruxelas à detenção de duas dezenas de jornalistas na Turquia. “Vi a reação do presidente Erdogan e estou muito surpreendida, porque durante a minha visita (à Turquia) na semana passada falámos de uma maneira muito construtiva (…) sobre como progredir” nas relações entre a UE e a Turquia”, disse Mogherini numa conferência de imprensa.

Erdogan reagiu hoje com irritação às críticas feitas pela UE à operação policial do fim de semana junto de ‘media’ ligados ao seu ex-aliado e agora opositor Fethullah Gullen, um pregador islamita exilado nos Estados Unidos, afirmando que Bruxelas “deve meter-se na sua vida”. “A UE não pode interferir em medidas tomadas no âmbito do Estado de Direito contra elementos que ameaçam a nossa segurança nacional”, disse Erdogan durante uma cerimónia de inauguração das novas instalações da empresa turca de refinaria de petróleo.

No domingo, num comunicado conjunto, a Alta Representante para a Política Externa, Federica Mogherini, e o comissário da Política de Vizinhança, Johannes Hahn, consideraram as detenções “incompatíveis com a liberdade de imprensa” e “contrárias aos valores e padrões europeus, de que a Turquia aspira fazer parte e que são centrais numas relações reforçadas”.

Hoje, na conferência de imprensa, Mogherini sublinhou que com uma “nova Comissão” Europeia e “um novo governo” em Ancara “há a possibilidade de um novo começo” nas relações entre a UE e a Turquia. “Membros do governo (turco) disseram-nos que, para a Turquia, o caminho para a UE não passa tanto pela economia como pelos valores e princípios, a começar pelo Estado de Direito”, disse a chefe da diplomacia europeia.

Pelo menos 27 pessoas foram detidas nas operações policiais do fim de semana em 13 cidades da Turquia, entre os quais o chefe de redação do diário Zaman e o diretor da televisão Samanyolu TV (STV), considerados próximos de Gulen.