Três pessoas foram presas no norte da Grécia por deverem em conjunto mais de dois milhões de euros em impostos ao Estado grego, anunciaram hoje as autoridades gregas, diz o jornal grego Khatimerini. Entre os três detidos está uma mulher de 68 anos.

Segundo as autoridades, foi detido o diretor de uma empresa de construção em Amyntaio (59 anos), com uma dívida avaliada em cerca de mais 750 mil euros e ainda duas mulheres de 68 anos e 63 anos, com dívidas superiores a 472 mil euros e 623 mil euros, respetivamente, ambas presas em Serres.

Ainda este sábado, o ministro das Finanças grego, Yanis Varoufakis, admitiu criar uma “taxa extraordinária” para “aqueles que podem pagar”, com o objetivo de garantir o equilíbrio orçamental do país. “Estamos comprometidos em ter equilíbrio orçamental. Se eu tiver que impor um imposto especial, fá-lo-ei, mas sobre aqueles que podem pagar”, afirmou o governante numa entrevista concedida à estação televisiva grega Skai.

“Não vamos pedir dinheiro àqueles que sofrem”, garantiu Varoufakis. “Estamos interessados naqueles que têm dinheiro e que nunca pagaram. Eles são o nosso alvo e seremos implacáveis”, realçou o responsável. E acrescentou: “Queremos encontrar uma solução para fazer pagar aqueles que têm dinheiro”.

Um dos principais problemas do Estado grego e a coleta de impostos. O combate à fraude e evasão fiscal na Grécia é, aliás, um dos pontos de compromisso entre o Governo grego e a troika, na carta enviada por Atenas ao Eurogrupo.