Transgénero

Bruce Jenner, o transexual que está a comover a América

259

Após meses de especulação, o ex-atleta olímpico Bruce Jenner foi à televisão admitir que está a fazer a transição para assumir a sua identidade de género como mulher.

Bruce Jenner está a fazer tratamento hormonal, mas admite que não pretende fazer a cirurgia de redesignação sexual

Captura de ecrã - Canal ABC

Sou eu. Sou uma pessoa. Este sou eu. Não estou preso no corpo de ninguém. O meu cérebro é muito mais feminino que masculino. (…) Veem-te como este homem ‘macho’, mas o meu coração e a minha alma e tudo o que faço na vida é parte de mim, este lado feminino é parte de mim. Este sou eu”.

Foi desta maneira que Bruce Jenner confirmou esta sexta-feira, em entrevista a Diane Sawyer no canal americano ABC, que é transexual e que está a fazer a transição para assumir a sua identidade de género. Bruce é conhecido por ser um ex-atleta olímpico e pela sua participação no reality show “Keeping Up with the Kardashians”, sobretudo na época em que esteve casado com Kris Kardashian, com a qual teve duas filhas, Kendall e Kylie Jenner. Kourtney, Kim e Khloé, estrelas da televisão americana, e Robert Kardashian são os seus ex-enteados.

Desde a separação, vários meios de comunicação nos Estados Unidos divulgaram que Bruce fazia tratamento para submeter-se a uma mudança de sexo e transformar-se em mulher.

Durante a entrevista, Bruce referiu-se a si mesmo na terceira pessoa e reconheceu que prefere ser chamado por pronomes masculinos durante a sua transição. Sobre o assunto, reconheceu: “Bruce sempre mentiu. Viveu uma mentira a vida inteira sobre quem era. E não consigo fazê-lo mais”.

Bruce Jenner tornou-se famoso nos Estados Unidos em 1976, quando conquistou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Montreal de 1976 no decatlo. A partir do final dos anos 70, ingressou no mundo da publicidade e participou como ator em alguns filmes e séries.

Bruce casou-se pela primeira vez em 1972 com Chrystie Crownover, com a qual teve dois filhos, Burt e Cassandra. Em 1981, divorciaram-se e, na mesma semana, casou-se com a atriz Linda Thompson. Desta união, nasceram os seus filhos Brandon e Sam Brody. A separação veio cinco anos depois e, em 1991, começou a sua relação com Kris Kardashian, que acabava de divorciar-se de Robert Kardashian, advogado famoso por ter defendido o desportista O.J. Simpson em tribunal.

Sobre o conflito com a identidade de género durante as suas relações, Bruce explicou que teve diferentes reações. O ex-atleta contou a Chrystie Crownover um ano após o início do casamento. “Como muitas mulheres, ela pensou ‘Oh, eu posso consertar isto'”, explicou. Bruce admite que a sua identidade de género foi o principal motivo para a sua separação de Linda Thompson e que o seu casamento com Kris Kardashian teria sobrevivido “se ela tivesse sido mais compreensiva”, apesar de admitir que “minimizou os seus problemas” pois “provavelmente não era tão bom a dizer ‘Este é quem sou dentro de mim'”, explicou.

Perguntado pela entrevistadora se era gay, Bruce esclareceu que “orientação e género sexual são duas coisas completamente diferentes e independentes” e que “nunca teve uma relação sexual com um homem”. No entanto, descreve-se como assexual e que não pensa em casar-se com uma mulher de novo. “Apenas quero uma alma livre e muitos amigos”, afirma.

Bruce disse que começou a tomar hormonas femininas em 1981, ainda quando estava casado, o que “ajudou a combater os sentimentos diários de medo e frustração”. Em seguida, fez uma cirurgia no rosto para mudar a forma do nariz e começou a fazer um tratamento por eletrólise para remover a barba e os cabelos do peito. Após cinco anos de hormonas, parou o tratamento com medo da reação dos filhos.

Retomou as operações vários anos depois com procedimentos para reduzir a maça de Adão, além de uma cirurgia ocular e aumento dos lábios. Há um ano e meio, Bruce voltou a tomar hormonas femininas e pretende fazer mais intervenções no rosto e peito, mas admite que uma cirurgia aos órgãos genitais estaria “fora de questão”.

A entrevista do ex-atleta teve grande repercussão nos media americanos e ganhou as redes sociais – a hashtag #BruceJennerABC foi trending topic em todo o mundo. Diversas celebridades foram ao Twitter apoiar as declarações de Bruce, inclusive a sua família.

https://twitter.com/ladygaga/status/591726057666924545

https://twitter.com/MileyCyrus/status/591801235008720897

Conforme avança o canal E! Entertainment Television, Bruce fará parte de um documentário em oito partes sobre a sua transição a ser exibido pelo canal em julho.

Texto atualizado dia 26/04 às 12h35 com o vídeo da entrevista

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Transgénero

A liberdade é a nossa arma

Rita Fontoura
126

Se educarmos os nossos filhos para a liberdade, aí sim estamos a prepará-los para não caírem facilmente nas esparrelas desta ideologia de género que mais não faz do que propor viver na mentira.

Transgénero

Os Super-Homens legisladores

Pedro Afonso
1.207

Não existe qualquer base científica ou justificação médica que autorize um adolescente de 16 anos, cujo córtex pré-frontal ainda não está completamente desenvolvido, decidir livremente mudar de género

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)