Rádio Observador

Media

RTP poderá vir a deixar de pagar a comentadores políticos no ativo

532

Segundo o presidente da RTP a empresa está a trabalhar em novas regras para os debates políticos, que prevêem que os políticos no ativo deixem de ser pagos.

Estes novos princípios, que estão a ser trabalhados pelas direções de informação da televisão e da rádio, serão depois "plasmadas num livro de estilo" da RTP

Tiago Petinga/LUSA

O presidente da RTP afirmou esta quarta-feira que as direções de informação da televisão e rádio está em trabalhar em novas regras para os debates políticos, onde se prevê que “tendencialmente” os políticos no ativo deixem de ser pagos.

O Conselho de Administração da RTP, liderado por Gonçalo Reis, está a ser ouvido na comissão parlamentar para a Ética, a Cidadania e a Comunicação sobre o relatório e contas de 2014 e plano de atividades e orçamento da empresa para este ano.

Em resposta a uma questão do PSD sobre eventuais avenças milionárias de comentadores políticos na RTP, Gonçalo Reis sublinhou que “a decisão sobre debates políticos cabe à direção de informação”, a qual está a preparar um conjunto de medidas nesta área, nomeadamente para que os debates sejam “cada vez mais plurais”.

“Julgo que [a direção de informação] tem conduzido muito bem” este processo, afirmou Gonçalo Reis, sublinhando que esta tem vindo a “reformular a sua política para os debates”, nomeadamente ao “fomentar debates cada vez mais plurais, abertos”, em que “não deve haver políticos sozinhos em espaço de opinião, devem estar em confronto”.

“A política que a direção de informação” está a desenvolver é de “não pagar tendencialmente a políticos no ativo”, disse.

Estes novos princípios, que estão a ser trabalhados pelas direções de informação da televisão e da rádio, serão depois “plasmadas num livro de estilo” da RTP.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Política

Os idiotas úteis da esquerda /premium

João Marques de Almeida
1.425

Pacheco Pereira e Marques Lopes querem fazer carreira na comunicação social como os cronistas de direita que atacam a direita. Eles querem ser a “direita” que a esquerda gosta.

Trabalho

Ficção coletiva, diz Nadim /premium

Laurinda Alves

Começar reuniões a horas e aprender a dizer mais coisas em menos minutos é uma estratégia que permite inverter a tendência atual para ficarmos mais tempo do que é preciso no local de trabalho.

Trabalho

Ficção coletiva, diz Nadim /premium

Laurinda Alves

Começar reuniões a horas e aprender a dizer mais coisas em menos minutos é uma estratégia que permite inverter a tendência atual para ficarmos mais tempo do que é preciso no local de trabalho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)