O Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC) acusa a TAP de suspender mais pilotos sem fundamentos, considerando que os profissionais estão a ser penalizados por aderirem à greve e por serem próximos do SPAC.

“Por essa mesma razão, não afastamos a possibilidade de convocar uma assembleia de empresa, para que os associados deliberem sobre a melhor forma de os pilotos atuarem caso a TAP não inverta a sua posição no relacionamento com os pilotos”, avisa o SPAC, que garante que, apesar do período eleitoral que decorre, a direção continua em funções e está a acompanhar de perto todos os casos referidos.

Na semana passada, o comandante Paulo Lino Rodrigues, consultor do SPAC desde 2008, foi suspenso pela TAP no âmbito de um inquérito que a companhia aérea instaurou para averiguar se este profissional violou as regras de ética e de segurança, no rescaldo da greve dos pilotos do passado mês de maio.