Ricardo Salgado recebeu a visita de Mário Soares, na sua casa em Cascais. O ex-líder do Banco Espírito Santo, em prisão domiciliária desde 24 de julho no âmbito do caso BES, já tem recebido vários amigos, mas Mário Soares, com quem manterá uma relação de amizade desde os anos 80, parece ser o mais mediático.

Os polícias que vigiam o portão da casa de Salgado pediram, como acontece com qualquer visita, a identificação do ex-chefe de Estado.

O semanário Sol conta que “o pessoal de serviço no local anota a data/hora e as matrículas dos veículos que ali se dirigem. E identifica as pessoas que ali se deslocam, quer a pé, quer de carro”.

O mesmo jornal recorda que a relação de amizade entre ambos, remonta aos anos 80: a família Espírito Santo queria regressar a Portugal após as nacionalizações e o exílio no estrangeiro, mas não teria dinheiro para cumprir o objetivo. Mário Soares, quis ajudar o clã Salgado. Para isso, recorreu a outro amigo: François Mitterrand.

O empurrão pôs os Salgado ligados aos franceses, através do Credit Agricole, uma parceria que manteve até ao ano passado e que foi essencial para a criação do Grupo Espírito Santo.