“The Car Man” está quase esgotado, a melhor disponibilidade é no domingo, 9 de agosto”, podia ler-se na página do Sadler’s Wells Theatre. O espetáculo de dança de Matthew Bourne estava de regresso aos palcos e despedia-se daquela sala londrina este domingo, depois de três semanas em cartaz. Mas a última performance já não aconteceu. Jonathan Ollivier, um dos protagonistas, morreu horas antes, num acidente de mota.

“Conduza com segurança agora!”. Logo no início do espetáculo, ouve-se o motor de um carro a acelerar. Luca, o personagem interpretado por Jonathan Ollivier, chega a uma pequena cidade americana chamada Harmony. O público sabe-o pelo cartaz gigante pendurado no cenário: “Bem-vindo a Harmony. População: 375. Conduza com segurança agora!”.

Fora dos palcos, Jonathan Ollivier não conduzia um carro, mas sim uma mota. No domingo, às onze da manhã, colidiu com um Mercedes de cor preta. De acordo com os meios de comunicação britânicos, a polícia, os paramédicos e um helicóptero tentaram salvá-lo no local, mas o bailarino não resistiu. Tinha 38 anos.

O condutor do carro foi detido por suspeita de condução perigosa e está neste momento sob custódia das autoridades londrinas. Ao saber da notícia, o elenco de “The Car Man” mostrou-se abalado e cancelou o último espetáculo.

Nascido em Northampton, a cerca de 100 quilómetros a norte de Londres, Jonathan Ollivier era casado com a também bailarina Desiré Samaai, sul-africana. Estudou ballet clássico e contemporâneo na Rambert Ballet School. Em 2002 foi nomeado melhor jovem artista masculino nos National Dance Awards

A última mensagem que colocou na sua página de Facebook foi a da crítica do Telegraph à peça. No título do artigo, uma única palavra: “Magistral”. No Twitter, a última mensagem é de uma mulher que foi ver o espetáculo e que destaca a performance de Ollivier como de cortar a respiração.

https://twitter.com/tweeting_nik/status/630024288993677312