O monólito encontrado por uma equipa de investigadores israelitas e italianos pesa 15 toneladas, tem três buracos e está a quase 40 metros de profundidade, ao largo da ilha vulcânica de Pantelleria, no Mediterrâneo. Análises a esta estrutura concluíram que terá sido feito pelo homem e terá aproximadamente 10 mil anos. A estrutura estaria localizada numa ilha que ficou submersa há mais de 9 mil anos.

A estrutura faz lembrar o célebre monumento Stonehenge, em Inglaterra, e, segundo os investigadores, mostra os avanços tecnológicos dos povos que habitavam a região da Sicília. “Esta descoberta revela uma inovação tecnológica e desenvolvimento atingidos durante o Mesolítico na região do Canal da Sicília”, referiu o investigador Emanuele Lodolo à Discovery News. Os investigadores garantem que não há processo natural possível para explicar a forma desta rocha, o que aponta de forma conclusiva para ação humana.

A região da Sicília foi uma das que mais alterou a sua geografia no Mediterrâneo, já que as ilhas foram originalmente colonizadas através de canais que as ligavam ao continente e muitas ilhas ficaram submersas. Os investigadores acreditam que na ilha, agora submersa, onde foi encontrada a estrutura havia uma população desenvolvida e que a estrutura seria possivelmente um farol ou teria um propósito na pesca, uma das principais atividades daquela região.