Doze prémios Nobel da Paz, incluindo Desmond Tutu e o dalai lama, pediram ao Presidente norte-americano para exigir a libertação do dissidente chinês Liu Xiaobo, durante a visita do chefe de Estado da China aos Estados Unidos.

Segundo uma carta hoje divulgada, com data de 02 de setembro, os signatários exortam Barack Obama, também prémio Nobel da Paz, a “pedir publicamente ao Governo chinês para libertar” Liu Xiaobo e a sua mulher, Liu Xia.

O escritor e crítico literário chinês, que também venceu o prémio Nobel da Paz, foi condenado a 11 anos de prisão por “subversão”, em 2009.

Logo a seguir, a sua mulher, Liu Xia, foi posta em prisão domiciliária.

Na carta, os signatários pedem para que seja autorizada a “ir para o estrangeiro receber tratamento, tal como pediu”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Todas as tentativas para encontrar uma solução para a sua detenção através de negociações diplomáticas nos bastidores falharam”, referem os 12 signatários, que incluem também o ex-Presidente polaco Lech Walesa e o ex-líder do Partido Unionista da Irlanda do Norte, David Trimble.

“Acreditamos que se líderes como o senhor não agirem rapidamente na frente do palco e nos bastidores, a China vai continuar a acreditar que pode agir com impunidade e sem consequências”, referem na carta a Barack Obama.

O Presidente da China, Xi Jinping, chegou terça-feira aos Estados Unidos e deve ser recebido sexta-feira por Barack Obama na Casa Branca.

O governo norte-americano prometeu que a espinhosa questão dos direitos humanos, as liberdades políticas e religiosas vão ser discutidas, com destaque para o comércio.