O ministro da Economia, António Pires de Lima, admitiu esta quinta-feira que há 117 mil carros do grupo Volkswagen em Portugal afetados com o kit fraudulento, que envolvem as marcas Volkswagen, Audi e Skoda. A afirmação foi feita aos jornalistas no final de uma reunião do grupo de trabalho criado pelo Governo para assegurar a monitorização das ações decorrentes da fraude da Volkswagen.

No total, existem no país 102.140 veículos das marcas Volkswagen, Audi e Skoda, “usando o kit fraudulento que distorce a emissão de gases” poluentes, mais cerca de 15 mil veículos da marca Seat, afirmou o ministro, em citação da agência Lusa.

Pires de Lima avançou que os proprietários serão chamados pela empresa para realizarem a correção das anomalias. “A Volkswagen vai chamar as viaturas, não vai ficar a espera que os utilizadores ou proprietários das viaturas as levem aos stands ou aos centros da Volkswagen”, explicou.

O ministro disse ainda que a Volkswagen vai anunciar o plano de ação mais detalhado até o final de novembro. “Os representantes das marcas irão apresentar um calendário para que elas próprias chamem as viaturas para a correção das anomalias, nomeadamente correção do software, ou correção do complemento dos próprios motores, ao longo do ano 2016”, explicou. De acordo com o governante, o custo será inteiramente de responsabilidade da empresa.

A Volkswagen admitiu no início deste mês que 11 milhões de carros a diesel em todo o mundo estão equipados com o chamado “kit fraudulento”, um software colocado no motor, que manipula as emissões de gases poluentes.

Caso queira saber se tem um dos carros manipulados, pode ir ao site da marca ou, em alternativa, contactar a marca através do número 808 30 89 89 ou pelo e-mail apoio.clientes@siva.pt, munido do número de chassis do veículo.