O Presidente norte-americano, Barack Obama, afirmou, esta quarta-feira, estar “profundamente chocado” com o vídeo que mostra um polícia branco a disparar 16 balas contra o jovem negro em Chicago.

“Como inúmeros norte-americanos, estou profundamente chocado com as imagens que mostram os disparos fatais contra Laquan McDonald, de 17 anos”, escreveu Obama na sua página oficial do Facebook.

“Neste Dia de Ação de Graças, peço a todos para guardarem aqueles que sofreram trágicas perdas nos nossos pensamentos e orações, e que agradeçam à esmagadora maioria de homens e mulheres de uniforme que protegem as nossas comunidades com honra”, afirmou o Presidente dos Estados Unidos. E acrescentou: “Estou pessoalmente grato às pessoas da minha terra natal por manterem protestos pacíficos”.

Apesar de ter nascido no Havai, Obama considera Chicago a sua “terra natal”.

Centenas de pessoas saíram na terça-feira para a rua para protestar – estando a fazê-lo de novo – após a divulgação do vídeo, em manifestações que decorreram de forma pacífica, marcadas pelo grito “16 shots” (“16 tiros”), em referência ao número de balas com que o jovem McDonald foi atingido há mais de um ano.

As autoridades judiciais anunciaram na terça-feira que vão acusar o polícia branco Jason Van Dyke, de 37 anos, presumível autor dos disparos, por homicídio.

Este é o primeiro caso em 35 anos na cidade de Chicago em que um polícia é acusado de homicídio em primeiro grau devido a um incidente ocorrido quando estava em serviço, segundo a imprensa local.

McDonald, de 17 anos, foi morto a 20 de outubro de 2014, após um encontro com o agente Van Dyke, da polícia de Chicago, o qual assegurou que o jovem estava armado com uma faca.

No vídeo, divulgado ao final do dia de terça-feira, vê-se McDonald a correr, aparentemente, a afastar-se de um grupo de agentes, quando foi atingido pela primeira vez. Depois, aparece estendido no chão, onde aparentemente é baleado por diversas vezes, e um agente não identificado aproxima-se e chuta uma pequena faca que McDonald segurava na mão.

A polícia argumenta que Van Dyke disparou por temer pela sua vida e acrescenta que McDonald, cuja autópsia revelou indícios de que pode ter consumido drogas, se comportou de forma errada e que não atendeu as ordens dos agentes para que largasse a faca.