Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O candidato presidencial Sampaio da Nóvoa não gostou de ver o seu adversário dizer este fim de semana, em entrevista ao semanário Expresso, que dentro de semanas seria Presidente da República. “Parece um bocadinho arrogante”, comentou este domingo o ex-reitor da Universidade de Lisboa em declarações aos jornalistas em Matosinhos, lembrando que antes disso ainda falta uma “formalidade”: o voto.

“Ler uma manchete a dizer ‘daqui a semanas sou Presidente da República’ parece um bocadinho arrogante em relação aos portugueses, porque [Marcelo Rebelo de Sousa] esquece-se de que falta uma pequena formalidade a cumprir, e essa formalidade chama-se voto, chama-se democracia, chama-se respeito pela decisão dos eleitores”, disse, citado pela SIC Notícias.

Por isso, concluiu, Marcelo devia ter dito “daqui a semanas sou Presidente da República, vírgula, se os portugueses quiserem”.

Falando aos jornalistas durante a inauguração de mais uma sede de campanha, o candidato a Belém centrou quase todo o seu discurso no candidato que está a ser apontado como favorito à vitória, defendendo que se deve acabar com a ideia preconcebida de que já há um Presidente eleito, assim como com o “faz de conta” de que “todos os candidatos são independentes” e que todos estão “confortáveis” com a solução da nova maioria de esquerda no Parlamento.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR