Um dos principais índices da bolsa de Nova Iorque, o Dow Jones Industrials, superou esta quarta-feira, pela primeira vez, a fasquia dos 20 mil pontos. O índice, que sobe mais de 9% desde a eleição do magnata para Presidente dos EUA, já tinha estado muito perto de superar esta marca histórica mas perdeu gás — até que, com as várias medidas (ordens executivas) anunciadas por Trump nos primeiros dias frenéticos, os investidores voltaram a acreditar no impacto positivo que a governação deste Presidente poderá ter na economia.

INDU Index (Dow Jones Industrial 2017-01-25 15-05-52

A bolsa de Nova Iorque, medida pelo índice Dow Jones Industrials, tem recuperado desde 2009, o ano seguinte à crise financeira.

A escalada do índice Dow Jones começou em 2009, quando Barack Obama, recém-eleito Presidente dos EUA, disse que aquela era uma altura ótima para investir em ações. Poucos meses antes, a bolsa tinha-se despenhado com a falência do Lehman Brothers e a crise do mercado hipotecário norte-americano. Desde aí, a recuperação económica e a política agressiva de estímulos monetários por parte do banco central (a Reserva Federal) têm multiplicado o valor das cotadas dos EUA.

A recuperação tinha estagnado um pouco nos últimos meses, com a incerteza em torno das eleições que viriam a ser ganhas por Donald Trump. Esse resultado deu um novo fôlego à bolsa de Nova Iorque, com os analistas a acreditarem que a política de Trump irá ser muito benéfica para setores como as infraestruturas, a saúde e a banca. Esses setores têm estado entre as maiores subidas na bolsa dos EUA nas últimas semanas. Há especialistas que falam numa “festa”:

“Os operadores de mercado têm estado à espera de mais detalhes sobre os investimentos em infraestruturas e, [depois das primeiras medidas aprovadas por Trump], agora têm uma ideia mais clara sobre o formato”, afirmou Naeem Aslam, do ThinkMarkets, citado pelo CNBC.

“Não há nada maior do que isto. Uma quebra da fasquia dos 20 mil pontos no Dow fará com que entre mais capital fresco, que estava à espera para se juntar a esta festa”, acrescenta Naeem Aslam.

Um outro investidor, Tim Ghriskey, da Solaris, diz que, nos mercados, “há um sentimento de que Trump é a sério, ele tem estado extremamente ativo nestes primeiros dias da presidência, e uma mudança pode vir aí, mais rapidamente do que as pessoas pensavam”. Também citado pela BBC, Neil Wilson, um analista da London Brokers Capital, diz que quebrar os 20 mil pontos “é psicologicamente crucial e, depois de uma ligeira perda de vapor antes da tomada de posse, confirma que estamos perante uma grande rotação das obrigações para as ações — há receios sobre protecionismo mas, para já, estão a ser secundarizados pelas perspetivas de inflação e crescimento, pelo menos para já”.