Um estudo do Instituto Coordenadas de Gobernanza y Economía Aplicada, em Madrid, estima que o veto à construção de dois hotéis de luxo em Barcelona representa uma perda de 129 milhões de euros no PIB da cidade e impedirá a criação de 4000 mil postos de trabalho.

A instalação de duas unidades de luxo — uma do grupo Hyatt e outra do Four Seasons — tinha ficado suspensa em julho do ano passado, devido à intenção da câmara de preparar um Plano Especial Urbanístico de Alojamentos Turísticos. O documento, refere a Reuters, foi aprovado na semana passada pelo executivo camarário de Ada Colau — uma ativista social que se destacou pela fundação da Plataforma de Afectados por la Hipoteca –, ditando a impossibilidade de as duas unidades serem instaladas na cidade.

Não estava em causa a construção de novos edifícios. O Hyatten ficaria na Torre Agbar e o Four Seasons no edifício que era ocupado pelo Deutsche Bank. A instalação teria um “impacto profundo sobre a cidade”: previa-se um investimento de 80 milhões de euros e um aumento do PIB da cidade catalã na ordem dos 129 milhões de euros, além da criação direta de 2.ooo postos de trabalho. Perante o revés, o primeiro espaço será ocupado por lojas de comércio e o segundo por casas de luxo.

Na avaliação feita pelo instituto madrileno, a abertura dos dois hotéis teria também um impacto na imagem da cidade. Barcelona “perdeu uma oportunidade de ouro para se posicionar no mercado de alta gama hoteleira ao deixar escapar estes projetos”, refere o estudo do instituto.