A polícia britânica deixou de partilhar pormenores da investigação sobre o ataque na Manchester Arena com as autoridades norte-americanas, depois de terem surgido no The New York Times imagens dos restos da bomba usada por Salman Abedi para o atentado, revela a BBC.

Segundo a imprensa britânica, a primeira-ministra britânica, Theresa May, não gostou do facto de a imprensa dos EUA ter tido acesso ao material, que terá sido revelado ao jornal nova-iorquino por fonte dos serviços de informações americanos. Fonte do governo britânico confirmou ao The Guardian que a revelação das imagens, que são “perturbadoras para as vítimas”, é “inaceitável”.

Theresa May deverá aproveitar o encontro desta quinta-feira com Donald Trump, em Bruxelas, a propósito da reunião de chefes de Estado da NATO, para confrontar o presidente norte-americano com a divulgação das imagens e com a quebra de confiança entre serviços de informações britânicos e norte-americanos.

Fotogaleria. A poderosa bomba, o detonador e a bateria do ataque em Manchester

De acordo com as informações obtidas pela BBC junto de fontes policiais, a polícia de Manchester espera voltar a colaborar no fluxo normal de informações entre os dois países, mas estará atualmente “furiosa” com a situação.

Também a ministra da Administração Interna do Reino Unido, Amber Rudd, já se mostrado “irritada” com a divulgação da identidade do terrorista por parte dos Estados Unidos antes de as autoridades britânicas o terem autorizado, mas a publicação das imagens pelo The New York Times acabou por ser a gota de água na relação em matéria de segurança entre os dos países nesta investigação.