A inspetora da Polícia Judiciária Ana Saltão, acusada de ter matado, em 2012, a avó do marido, foi esta sexta-feira absolvida pelo Tribunal de Coimbra, na repetição do julgamento.

Ana Saltão era suspeita de ser a autora de mais de dez disparos que mataram Filomena Alves, de 80 anos, numa residência em Coimbra, na tarde de 21 de novembro de 2012, tendo sido acusada pelo Ministério Público de um crime de homicídio qualificado e de um crime de peculato (pelo furto da arma de um colega da PJ do Porto).

O presidente do coletivo de juízes, Miguel Veiga, considerou hoje que o móbil apontado pela acusação – motivações económicas – não é sustentado, nem as circunstâncias do crime apontadas pelo Ministério Público são credíveis, optando pela absolvição de Ana Saltão através do princípio ‘in dubio pro reo’ (na dúvida, a favor do réu).

O presidente do coletivo sublinhou que a decisão foi unânime, quer por parte do coletivo, quer por parte do tribunal de júri criado para este julgamento.

A inspetora da PJ já tinha sido absolvida na primeira instância, em 2014, foi depois condenada a 17 anos de prisão pela Relação de Coimbra, mas o Supremo recusou a decisão e o julgamento começou a ser repetido em maio, novamente com recurso a tribunal de júri.