Mundo

Duas mulheres e seus cães salvas após cinco meses perdidas no mar

612

Jennifer Appel, Tasha Fuiaba e os seus dois cães planeavam navegar do Havai para o Taiti, mas viagem foi de mal a pior. Tudo começou com uma perda de motor, que as condenou a cinco meses em alto mar.

NaMass Communication Specialist 3rd Class Jonathan Clay/ U.S Navy

Duas mulheres de Honolulu que planeavam viajar do Havai para o Taiti foram resgatadas após terem estado perdidas em alto mar com os seus cães durante cinco meses. Jennifer Appel e Tasha Fuiaba foram encontradas a 1.448 quilómetros a sudeste do Japão, bastante distantes da rota que estava programada para a viagem, que desde o começo correu mal.

Appel, Fuiaba e os seus cães partiram do Havai rumo à maior ilha da Polinésia Francesa a 5 de maio. No final do mês, devido a mau tempo, o motor avariou. Ambas acreditavam que poderiam chegar a Taiti usando apenas as velas. Mas o mastro também partiu. E o purificador de água também avariou.

Dois meses depois, numa altura em que já deviam ter chegado à ilha há bastante tempo, começaram a tentar comunicar com outras embarcações. Contudo, nunca havia nenhum barco perto e estavam demasiado longe de terra para o sinal ser detetado.

Seguiram-se mais de cinco meses perdidas em alto mar com os seus cães, nos quais a sua capacidade de desembaraço foi determinante para a sobrevivência. Levaram comida suficiente para um ano, maioritariamente cereais e massas, e conseguiram arranjar o purificador de água. Apesar de nunca terem sucesso, continuavam a tentar estabelecer contato com alguém todos os dias. Até que, terça-feira, dia 24 de outubro, uma embarcação taiwanesa de pesca as avistou.

Segundo a marinha norte-americana, o barco contactou o posto de guarda costeira de Guam, que trabalhou com os centros de coordenação e resgate de Taipei, Japão e Honolulu para as salvar. No dia seguinte, quarta-feira, o navio USS Ashland dirigiu-se à embarcação. O momento da chegada foi captado em vídeo e partilhado na página de YouTube da marinha norte-americana.

“Eles salvaram a nossa vida. O orgulho e sorrisos que tínhamos quando vimos [a Marinha] no horizonte foi de puro alívio”, disse Jennifer Appel após o resgate, que entretanto já falou com vários meios de comunicação social havaianos.

Ao Honolulu Star-Advertiser, Appel revelou ter enviado sinais de SOS durante 98 dias seguidos, sem resposta, o que disse ter sido “muito deprimente e muito desesperante”, mas necessário, pois “é a única coisa que se pode fazer”. Para Appel, escreve o Hawaii News Now, a experiência mudou-lhe a vida pois “há uma verdadeira humildade em questionar se o dia de hoje é o teu último”.

A Associated Press falou com a mãe de Jennifer, Joyce Appel, que disse nunca ter perdido esperança de que a sua filha seria encontrada. Esta quinta-feira, Joyce recebeu uma chamada que atendeu pensando que era alguém a tentar vender-lhe alguma coisa. Ouvir a voz da sua filha foi, contou à AP, “muito excitante”. “Ela disse ‘Mãe?’ e eu disse ‘Jennifer?!’, porque eu não ouvia dela há cinco meses”, revelou a mãe de Jennifer.

Joyce tinha ligado à marinha uma semana depois de ambas as mulheres terem deixado Honolulu, que, diz, “fizeram um esforço de busca e resgate”, mas sem sucesso. No entanto, a mãe de Jennifer disse saber que a filha é muito “desembaraçada” e “curiosa”, pelo que nunca deixou de acreditar. À chegada ao navio, Jennifer Appel, Tasha Fuiaba e ambos os cães receberam apoio médico, cama e comida. Segundo a marinha, vão permanecer no USS Ashland até que o navio faça uma paragem num porto.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Mundo

O poder mobilizador da rejeição /premium

Diana Soller

Um discurso negativo, de rejeição de alguma coisa, independentemente de ser factual ou inventado, tem muito mais impacto junto das populações que um discurso positivo, construtivo ou inclusivo.

Mundo

Delitos de Opinião

António Cruz Gomes

Parece chegado o momento premente dos “Políticos” de cada País determinarem o que deve mudar para salvação do Mundo e preservação da nossa descendência.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)