Rádio Observador

Mundo

Rússia terá usado contas falsas do Twitter para comentar o Brexit

Mais de 400 contas de Twitter com origem numa agência ligada ao Kremlin tentaram influenciar a política britânica após o Brexit. Theresa May disse à Rússia que sabe o que "andam a fazer".

NIKLAS HALLE'N/AFP/Getty Images

Investigadores da Universidade de Edimburgo descobriram 419 contas falsas operadas desde São Petersburgo que tentaram influenciar a política do Reino Unido relativamente ao Brexit. As contas em questão têm origem na IRA, a Agência de Pesquisa da Internet, também conhecida como os Trolls de Olgino, os mesmos que interferiram nas eleições americanas de 2016, ganhas por Donald Trump.

As contas identificadas pela Universidade fazem parte das mais de 2700 contas suspensas pelo Twitter nos EUA. Uma delas, com o nome de utilizador Lone Star Ranger, espalhou mensagens anti-islâmicas na sequência do ataque terrorista na ponte de Westminster, nomeadamente num tweet em que dizia que uma mulher islâmica tinha ignorado vítimas do ataque enquanto passava por elas.

Fonte: Twitter

O tweet foi divulgado por diversos meios de comunicação social britânicos, tais como o Daily Mail e o The Sun. A conta já foi, entretanto, suspensa.

A crença dos responsáveis britânicos é de que a agência russa está a tentar desestabilizar e dividir a sociedade e influenciar o pensamento político. A primeira-ministra britânica, Theresa May, deu um discurso na segunda-feira em que disse que saber o que os russos “andam a fazer”, acusando o país de “fazer da informação uma arma”, criando histórias falsas para criar discórdia.

Também a Espanha terá sido alvo de hackers russos. Mariano Rajoy disse na terça-feira que milhares de “bots” espalharam desinformação e ‘fake news’ durante o mês do referendo independentista da Catalunha. Segundo o primeiro-ministro espanhol, metade dessas contas têm origem na Rússia e 30% na Venezuela. O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov, considerou que as alegações espanholas são “histeria”.

A descoberta da Universidade de Edimburgo surge no seguimento da investigação dos EUA aos Trolls de Olgino. É sabido que centenas de hackers são pagos para encher fóruns e redes sociais utilizadas no ocidente de desinformação e mensagens de ódio.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)