O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou no último domingo, dia 3, a criação de uma nova moeda virtual – o petro – para fazer transações financeiras no exterior, com o objetivo de fortalecer a economia do país em colapso.

Maduro explicou que a nova moeda digital será apoiada pelas reservas de petróleo, minerais e diamantes da Venezuela, de acordo com o jornal El País. Esta criação, segundo o presidente, “permitirá avançar para novas formas de financiamento internacional para o desenvolvimento económico e social do país”.

Anuncio que a Venezuela vai criar um novo sistema monetário que tem como base as suas reservas de petróleo. A Venezuela vai criar uma moeda, a ‘Petro’, para progredir em matéria de soberania monetária, para realizar transações financeiras apesar do bloqueio financeiro”, afirmou Maduro durante o seu programa televisivo semanal, transmitido pelo canal estatal VTV.

Manuel Quevedo, novo presidente da empresa estatal Petróleos da Venezuela (PDVSA) e ministro do petróleo, é quem está encarregado de coordenar a equipa que vai criar a nova moeda. Maduro ordenou ainda a criação do Observatório Blockchain, como uma “base institucional, política e jurídica”, que contribuirá para o lançamento do petro.

De acordo com a agência Reuters, o anúncio do desenvolvimento da nova moeda não foi bem recebido pelos adversários do governo chavista, que apontaram a falta de credibilidade financeira da Venezuela para garantir o valor de uma nova moeda. “Isso não tem credibilidade”, disse o deputado da oposição e economista Angel Alvarado. “Não vejo futuro nisso”, acrescentou o colega legislador da oposição, José Guerra.

O chefe de Estado atribui o agravamento da crise na Venezuela às sanções financeiras impostas pelo governo de Donald Trump – o anúncio feito por Maduro destaca o quanto as sanções estão a prejudicar a capacidade da Venezuela de transferir dinheiro através de bancos internacionais, segundo a Reuters.

Várias agências de rating já declararam que a Venezuela, bem como a companhia petrolífera estatal PDVSA, entrou em default – incumprimento de pagamentos da dívida. O petro é criado no momento em que a moeda física, o bolívar, desvalorizou muito. A Venezuela atravessa uma profunda crise política, económica e social: as importações diminuíram cerca de 80% e a população está a enfrentar uma grave escassez de alimentos e de remédios.