Rádio Observador

Autoeuropa

Só existe uma creche aberta ao sábado. E é privada

Apenas uma creche privada recebe uma comparticipação da Segurança Social para abrir todos os dias do ano. Vieira da Silva tinha dito que a solução encontrada para a Autoeuropa não era uma exceção.

A situação da eventual existência de uma creche aberta ao sábado para os filhos dos funcionários da Autoeuropa continua sem solução

MARIO CRUZ/LUSA

A Segurança Social tem acordos de cooperação com 1.862 creches em todo o país. Mas o chamado “acordo atípico”, que permite o funcionamento de uma creche aos fins de semana e feriados, só foi assinado com um estabelecimento. E é privado. A Fundação Pão de Açúcar Auchan – que tem estatuto de IPSS desde 1993 – é a única que beneficia de financiamento público para um dos seus colégios.

Isto quer então dizer que a solução pretendida pelo ministério do Trabalho e Segurança Social para a Autoeuropa é uma absoluta exceção. Na altura da decisão da empresa de alargar o horário de trabalho e incluir os sábados, para fazer face à produção do novo T-Roc, o ministro Vieira da Silva garantiu que o Governo iria assumir “responsabilidades sociais de apoio à família” e destacou que “este apoio não é novo nem exclusivo para os trabalhadores da Autoeuropa”.

O ministro do Trabalho e da Segurança Social revelou que o chamado “complemento de horário de creche já era atribuído a 953 creches portuguesas”. Mas este alargamento do horário não abrange os fins de semana e feriados: inclui somente um complemento às 11 horas diárias normais e o pagamento de 500 euros à IPSS.

O Diário de Notícias conta que a única exceção é mesmo o Colégio Rik&Rok, em Alfragide, propriedade do grupo privado Auchan: a instituição, aberta em 2012, é a única que beneficia do “acordo atípico” e recebe uma comparticipação da Segurança Social. A creche recebe os filhos dos funcionários do grupo mas também crianças sem qualquer ligação à empresa e funciona todos os dias do ano, das 7hoo às 00h30. O jornal tentou encontrar esclarecimentos, tanto por parte da Auchan como da Segurança Social, mas não obteve qualquer resposta.

De acordo com o DN, os pedidos de apoio estatal para abrir creches aos sábados e feriados não são abundantes mas, quando aparecem, são normalmente recusados.

Quanto à Autoeuropa, ainda não há solução. Há pouco menos de um mês que cada turno de sábado recebe 700 trabalhadores na fábrica de Palmela. A Segurança Social continua à procura de IPSS na zona de Setúbal que tenham capacidade para receber os filhos dos trabalhadores da empresa mas as propostas, até agora, são consideradas pelas creches “irrisórias”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
PSD

Rui Rio precisa do eleitorado de direita /premium

João Marques de Almeida
238

O eleitorado de direita deve obrigar Rui Rio a comprometer-se que não ajudará o futuro governo socialista a avançar com a regionalização e a enfraquecer o Ministério Público. No mínimo, isto.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)