Moçambique e Rússia vão reforçar a cooperação bilateral, anunciaram esta quarta-feira os ministros dos Negócios Estrangeiros dos dois países após um encontro em Maputo.

Uma comissão mista intergovernamental russa e moçambicana vai reunir-se em abril, em Maputo, para “preparar os instrumentos legais que preconizam o reforço da cooperação bilateral”, referiu o chefe da diplomacia de Moçambique, José Pacheco.

O governante falava aos jornalistas ao lado de Serguei Lavrov, após ter recebido em reunião a comitiva russa. “A tarefa principal é elevar as relações económicas e comerciais ao nível do nosso diálogo político”, referiu Lavrov.

O líder da diplomacia russa convidou José Pacheco para uma visita ao país, que poderá ocorrer ainda este ano a anteceder uma visita à Rússia do Presidente moçambicano, Filipe Nyusi. O chefe de Estado de Moçambique está interessado nessa deslocação, já tinha frisado Pacheco minutos antes, no início da reunião com a comitiva russa.

Os dois governantes apreciaram ainda de forma positiva a cooperação técnica militar entre os dois países — que Lavrov acredita poder ganhar nova dinâmica com um grupo de trabalho recentemente criado –, bem como nas áreas científica e académica, apontando sempre no sentido de um estreitamento de relações.

Serguei Lavrov sublinhou um tradicional alinhamento entre Rússia e Moçambique em matérias do foro internacional e fez alusão à ameaça terrorista em África, de uma forma geral, comprometendo-se em apoiar os países do continente nesse combate.

“Temos posições comuns com os parceiros moçambicanos e uma prioridade global é criar uma frente única na luta contra o terrorismo e fazer isso sem dois pesos e duas medidas, sem utilizar os grupos terroristas para fins geoestratégicos e geopolíticos”, referiu Lavrov, numa alusão a conflitos como os do médio oriente.

Após o encontro com José Pacheco, o ministro dos Negócios Estrangeiros russo seguiu para o Palácio da Presidência onde deverá manter um encontro com Filipe Nyusi.