Rádio Observador

Óbito

Sergio Marchionne, antigo presidente executivo da FIAT morre aos 66 anos

169

O homem que salvou as finanças da Fiat e que liderou o rumo de fabricantes automóveis como a Ferrari, a Jeep e a Chrysler, morreu por complicações médicas depois de ser operado a um tumor no ombro.

Marchionne retirou-se de todos os cargos que desempenhava nas empresas da Fiat no início do mês de julho

Getty Images

Sergio Marchionne, o homem que esteve a liderar o rumo do grupo FCA (Fiat Chrysler Automobiles), que aglomera fabricantes de automóveis como a Fiat, a Lancia, a Jeep, a Maserati e a Alfa Romeo, e a integrou a Ferrari até 2015, morreu aos 66 anos depois de complicações de uma cirurgia ao ombro para retirar um tumor, avança a Bloomberg.

O executivo ficou responsável pela Fiat em junho de 2004, numa altura em que o grupo estava à beira da falência. Na sua carreira esteve também responsável por marcas como a Ferrari, onde também foi presidente executivo e do conselho de administração.

O antigo executivo nasceu em Chieti, na região de Abruzzo, na Itália. Aos treze anos emigrou com a família para o Canadá. Antes de chegar à liderança da FCA, foi contabilista na Deloitte de onde passou para o cargo de diretor de desenvolvimento de grupo Lawson Mardon, nos anos de 1980. Trabalhou como executivo em várias empresas até que, em 1997, chegou a presidente executivo da Algroup (Alusuisse) que fabrica componentes para carros.

Depois e passar pela liderança de outras empresas, em maio de 2003 foi eleito como membro independente da Fiat S.p. A., onde chegou, numa altura crítica para a empresa, a presidente executivo, em 2004.

Da Fiat em falência à compra da Chrysler

Quando Sergio Marchionne chegou à Fiat a empresa tinha perdas de mais de seis mil milhões de euros. Depois de uma parceria com a General Motors virou o rumo do empresa e tirou-a da beira da falência em 2005. Neste ano a americana pagou à Fiat mais de mil milhões e meio de euros para vender diretamente nos Estados Unidos da América.

Em 2009, Fiat comprou a Chrysler, que depois da crise financeira estava à beira da ruptura, e Marchionne é escolhido para ficar também à frente da fabricante americana de automóveis (e de marcas como a Jeep, a Dodge e a Ram).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mmachado@observador.pt
Jesus Cristo

Santos da casa também fazem milagres! /premium

P. Gonçalo Portocarrero de Almada
152

Todas as casas reais peninsulares descendem do profeta Maomé. Há uns séculos, este parentesco era muito indesejável mas ainda poderá ser de grande utilidade, se a Europa for ocupada pelo Islão.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)