Presidente Trump

Trump aproveita protestos em Paris para dar alfinetada em Macron

188

Donald Trump aproveitou o recuo do Governo de Emmanuel Macron na decisão de aumentar o preço dos combustíveis e diz que Macron chegou à conclusão a que ele próprio já tinha chegado há dois anos.

CHRISTOPHE PETIT TESSON / POOL/EPA

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, aproveitou o recuo do Governo de Emmanuel Macron na questão do aumento dos preços dos combustíveis para dar mais uma alfinetada no seu homólogo francês e atacar o Acordo de Paris sobre as alterações climáticas.

Fico feliz que o meu amigo Emmanuel Macron e os manifestantes em Paris concordaram com a conclusão à qual eu cheguei há dois anos”, afirmou Donald Trump ao final da noite desta terça-feira, através da sua conta pessoal na rede social Twitter.

Segundo o presidente norte-americano, essa conclusão terá sido que “o Acordo de Paris comete um erro fatal porque aumenta os preços da energia nos países responsáveis enquanto dá cobertura a alguns dos maiores poluidores do mundo”.

Donald Trump disse ainda que também tem como objetivo ter água e ar limpos e que tem feito várias investidas nesse sentido nos Estados Unidos, mas que “os contribuintes não devem pagar para limpar o que outros países poluem”.

As palavras do presidente norte-americano surgem dias depois de o Governo francês anunciar a suspensão, durante seis meses, do aumento previsto para os preços dos combustíveis que geraram protestos e confrontos violentos durante vários dias entre os chamados “Coletes Amarelos” e as autoridades.

A tirada de Donald Trump contra Macron não é a primeira e surge depois de vários recados do próprio presidente francês a Donald Trump sobre as questões climáticas. Em 2017, Emmanuel Macron disse que tinha transmitido a Donald Trump que “não há plano B para as questões ambientas, porque também não há planeta B” e que a decisão de Donald Trump de retirar os EUA do Acordo de Paris é “um erro para os EUA e para o planeta”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: nmartins@observador.pt
França

Da fúria à revolta: a cidadania em armas.

Bernardo Marinho da Mata

Será que o movimento dos coletes amarelos resultará numa Revolução Europeia, como certos grupos acreditam? Possivelmente não, pois não haverá financiamento que os permita persistir em força no tempo.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)