INEM

Médico afastado do INEM esteve no sismo do Haiti e foi o responsável por visita de Bento XVI

2.150

O médico António Peças, afastado por alegadamente se ter recusado a transportar doentes, esteve em missão no sismo do Haiti e prestou assistência médica a Bento XVI aquando da sua visita a Portugal.

Mas já em 2012, António Peças tinha tido problemas com o INEM, tendo sido retirado das escalas da viatura médica de emergência e reanimação do hospital de Évora, onde trabalha

Tiago Petinga/LUSA

O médico cirurgião António Peças, afastado do INEM por alegadamente se ter recusado a helitransportar doentes, esteve em missão no sismo de 2010 no Haiti e prestou assistência médica ao papa Bento XVI aquando da sua visita a Portugal.

Desde o início da semana que António Peças tem estado no centro das atenções mediáticas, depois de ter sido afastado do INEM por, alegadamente, recusar o transporte de doentes em estado crítico por helicóptero.

Mas já em 2012, António Peças tinha tido problemas com o INEM, tendo sido retirado das escalas da viatura médica de emergência e reanimação do hospital de Évora, onde trabalha.

Na altura, em 2012, a coordenadora da escala da VMER do hospital de Évora decidiu retirar o médico das escalas, após uma troca de emails em que considerou que António Peças tinha sido ofensivo.

Quatro ano depois, em 2016, o médico voltou às escalas por decisão do tribunal do trabalho de Évora, que considerou ainda que António Peças tinha direito a receber uma indemnização de 44 mil euros.

Segundo escreveu o Diário de Notícias em 2016, o tribunal de Évora condenou o hospital a reintegrar o médico por considerar que foi afastado de forma abusiva, por alguém que não tinha poder para o fazer e sem que tivesse sido aberto qualquer processo disciplinar para o efeito.

O cirurgião, que pertence aos quadros do hospital Espírito Santo de Évora, trabalha há vários anos no INEM, tanto nas VMER como nos helicópteros.

António Peças integrou em 2010 na equipa de oito elementos do INEM que esteve a prestar ajuda e assistência às vítimas do sismo no Haiti, em janeiro desse ano.

Foi também o médico do INEM responsável por acompanhar o papa Bento XVI quando, também em 2010, visitou Portugal.

Sobre essa experiência chegou a relatar em entrevista à agência Lusa que foi a situação em que sentiu maior responsabilidade sobre si próprio.

António Peças é um aficionado e chegou a ser forcado, tendo também chegado a estudar engenharia zootécnica.

No início da semana, uma reportagem  dava conta de que António Peças foi afastado do INEM depois de ter, alegadamente, simulado uma doença para não transportar um doente, enquanto se encontrava numa corrida de touros.

Também o jornal Observador divulgou outros dois casos que o INEM terá investigado e em que o médico António Peças terá, alegadamente, mostrado resistência em transportar doentes.

A Ordem dos Médicos está entretanto a analisar uma queixa sobre o médico, na sequência de uma denúncia anónima que já foi feita há quase um ano.

Também a Inspeção-geral das Atividades em Saúde (IGAS) tem em curso um inquérito disciplinar e também há um inquérito em curso no Departamento de Investigação e Ação Penal de Évora.

O caso em que António Peças terá, alegadamente, simulado uma doença para não acompanhar um doente no helicóptero do INEM remonta a outubro de 2017.

Segundo confirmou à Lusa uma fonte do INEM, em fevereiro de 2018 foi endereçada uma queixa anónima sobre António Peças à Ordem dos Médicos e à Inspeção-geral das Atividades em Saúde, com conhecimento ao INEM.

Entretanto, o INEM abriu uma investigação interna no final de fevereiro do ano passado e o processo acabou por ser concluído em dezembro, segundo a mesma fonte.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)