Porto

Última inspeção “principal” à Ponte da Arrábida foi em 2013

255

Infraestruturas de Portugal revelou que a Ponte da Arrábida, de onde caíram vários pedaços de argamassa, teve a sua última inspeção em 2013. Resultado da revisão foi na altura considerado como "bom".

Última inspecção da Ponte da Arrábida foi há 6 anos

JOSE COELHO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

A Infraestruturas de Portugal (IP) revelou esta quarta-feira que a Ponte da Arrábida, de onde caíram vários pedaços de argamassa, tem sido objeto de inspeções regulares, a última em 2013, estando prevista para este ano uma nova inspeção principal.

Em resposta à Lusa, a empresa pública esclarece que desta “inspeção resultou uma classificação de EC2, ou seja, com um estado de conservação bom”, pelo que, de acordo com o que determina o Sistema o Sistema de Gestão de Obras de Arte (SGOA), a realização de uma próxima Inspeção Principal seria realizada num intervalo de 6 anos.

Assim, e em cumprimento com o estipulado pelo SGOA, a IP, revela em resposta à Lusa, “tem programada a realização ainda este ano da próxima Inspeção Principal à Ponte da Arrábida”.

A IP salienta ainda que tem contrato com o LNEC – Laboratório Nacional de Engenharia Civil para “a realização de inspeções anuais às Obras de Arte especiais, nas quais se inclui a Ponte da Arrábida, sendo que o último relatório de inspeção do LNEC a esta estrutura é de janeiro de 2019”.

A Infraestruturas de Portugal acrescenta também que a Ponte da Arrábida, construída em 1963 com projeto de Edgar Cardoso, foi “objeto de intervenção em 2003 para correção de anomalias, algumas das quais associadas à corrosão das armaduras”.

O PSD Porto exigiu esta quarta-feira que a Infraestruturas de Portugal ceda de imediato os registos do Plano de Manutenção da Ponte da Arrábida para que possa ser avaliado se foram cumpridas todas as ações inspetivas e corretivas àquela estrutura.

“O PSD do Porto quer, nomeadamente, que possa ser avaliado até às últimas consequências, se foram cumpridas as ações inspetivas e corretivas do Plano de Manutenção duma infraestrutura com a importância da Ponte da Arrábida”, lê-se num comunicado.

O partido recomenda também que uma instituição independente como o LNEC – Laboratório Nacional de Engenharia Civil “possa, de imediato, avaliar a real situação não só da Ponte da Arrábida, mas de todas as infraestruturas rodoviárias e ferroviárias nacionais na cidade do Porto”.

Os sociais-democratas consideram “muito grave a queda de pedaços da Ponte da Arrábida que levou ao encerramento da marginal do Porto” e lembram que “situações de falta de manutenção e de fiscalização ou de atrasos em obras de manutenção de infraestruturas já foram detetadas e, publicamente, denunciadas noutras infraestruturas nacionais como a Ponte 25 de Abril”.

A Infraestruturas de Portugal (IP) informou que vai dar início, ainda hoje, a partir das 22:00, aos trabalhos de remoção controlado do betão destacado, no sentido de garantir a segurança da circulação sob a Ponte da Arrábida, no Porto, depois de na noite de terça-feira, e por precaução a Câmara do Porto ter procedido, ao corte do trânsito, depois da queda de pedaços de argamassa da estrutura.

Em comunicado, a IP esclarece que já procedeu à contratação de “uma plataforma bybridge que permitirá dar início aos trabalhos de remoção controlada do betão destacado”, cujos trabalhos serão iniciados hoje, a partir das 22:00, estando a sua conclusão prevista para as 06:00.

No entanto, refere a empresa pública, “apenas com o desenvolvimento da intervenção será possível aferir com detalhe se existirá necessidade de prolongar este trabalho por mais noites”.

O plano de intervenção foi definido na reunião que teve lugar esta manhã com responsáveis da Câmara do Porto, onde ficou ainda estabelecido, em coordenação com as forças de autoridade, a implementação do corte de via direita nos dois sentidos do tráfego sobre o tabuleiro, a realizar no mesmo no horário.

A Infraestruturas de Portugal acrescenta que, em data a anunciar brevemente, serão ainda executados trabalhos de revestimento e proteção das vigas.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)