A Secretaria de Saúde da região da Andaluzia alertou nesta sexta-feira a população para a contaminação de carne da Sabores de Paterna pela bactéria listeria, noticiam o El Español e outros jornais espanhóis. Esta é a segunda marca a revelar a presença da bactéria depois da de La Mechá ter provocado um surto de listeriose que causou três mortos, provocou sete abortos e pôs 200 pessoas doentes.

O início da investigação sob a marca foi dado em 13 de agosto, depois de um rapaz de 14 anos ter sido internado no hospital de Móstoles e diagnosticado com doença gástrica, entretanto apresentava diagnóstico negativo para listeriose. O jovem terá consumido a carne em questão durante uma estadia na cidade de Conil, na região de Cádiz, mesma da empresa, segundo o El Mondo.

As pesquisas feitas posteriormente nas carnes apresentaram resultado positivo para a presença de listeria numa das cinco amostras analisadas, o que colocou em vigor o alerta sanitário nacional, com protocolo de retirada imediata dos produtos à venda e o interromper da produção.

Os inspetores encarregados do caso estão nesta sexta-feira na fábrica a recolher amostras, e os produtos estão a ser retirados das prateleiras dos pontos de venda. A produção foi interrompida e a fábrica, que distribui os produtos nas regiões de Cádiz, Huelva e Madrid, foi fechada preventivamente.

A Secretaria investiga se o distribuidor da La Mechá e da Sabores de Paterna serão os mesmos, além de estudar a procedência e diferença entre cada uma delas.

Nesta sexta-feira, 214 pessoas estão infectadas pela bactéria, 45 pessoas estão internadas com listeriose em hospitais espanhóis, e mais um caso de aborto espontáneo foi registado, a somar sete no total.