É oficial: tal como aqui informámos, a Seat está a envidar esforços para minimizar os efeitos negativos da pandemia em Espanha, o segundo país europeu, depois de Itália, com maior número de infectados e de mortes devidas à Covid-19. Num tempo recorde, o coronavírus transfigurou a fábrica da marca espanhola em Martorell, pois a linha de onde antes saía o bestseller Seat Leon foi adaptada não para produzir um novo modelo automóvel, mas sim um novo modelo de ventilador mecânico que possa salvar vidas. Chama-se (apropriadamente) OxyGEN e trata-se de um projecto desenvolvido em colaboração com a Protofy, que conta com mais uma dezena de parceiros, incluindo a Bosch e a Universidade de Barcelona.

Porque o tempo é de emergência, o construtor espanhol do Grupo Volkswagen conseguiu mobilizar 150 funcionários de diferentes áreas para montar um novo ventilador e, desse desafio, resultaram 13 protótipos até chegar a uma versão definitiva, que está agora a ser avaliada para homologação por parte das entidades competentes.

Covid-19. Seat disposta a fazer ventiladores com o motor do limpa pára-brisas

A particularidade da solução final reside nas peças que providenciam o apoio respiratório de que os pacientes com Covid-19 tanto precisam para lutar contra a doença. O “truque” está no motor que tradicionalmente acciona o limpa pára-brisas de um automóvel e que, mercê das devidas adaptações, consegue converter uma máscara de válvula de bolsa (BVM, Ambu bag) num apoio respiratório mecânico. Para que tal seja possível, a Seat também está a recorrer aos eixos de caixas de velocidades e a imprimir engrenagens. Em comunicado, a marca revela que “cada ventilador possui mais de 80 componentes electrónicos e mecânicos e passa por um controlo de qualidade completo com esterilização por luz ultravioleta”.

Enquanto o OxyGEN aguarda luz verde, para o que está a ser submetido a testes de segurança, qualidade e eficácia, a linha de produção em Martorell não pára. “Só o facto de saber que tentámos ajudar a salvar uma vida faz com que todo o trabalho que desenvolvemos tenha valido a pena”, declara o responsável de Investigação e Desenvolvimento da Seat, Francesc Sabaté.