Aumentou em quase 9% o número de desempregados inscritos no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) em março, em comparação com o mês anterior. São mais cerca de 28 mil pessoas desempregadas, em apenas um mês. A zona do Algarve é, de longe, a que está a registar o maior aumento de desempregados: mais 41%.

Segundo nota divulgada esta segunda-feira pelo IEFP, havia em março 343.761 desempregados registados no organismo, mais 8,9% do que no mês anterior e mais 3% em comparação com o período homólogo.

Fonte: IEFP

“Para o aumento do desemprego registado, face ao mês homólogo de 2019, contribuíram todos os grupos do ficheiro de desempregados, com destaque para os homens, os adultos com idades iguais ou superiores a 25 anos, os inscritos há menos de um ano, os que procuravam novo emprego e os que possuem como habilitação escolar o secundário”, indica o IEFP.

No território continental, os setores de atividade que estiveram na base do aumento de desempregados são os seguintes: “Trabalhadores não qualificados“ (25,6%), “Trabalhadores dos serviços pessoais, de proteção segurança e vendedores” (20,6%), “Pessoal Administrativo” (11,7%), “Trabalhadores qualificados da indústria, construção e artífices” (11,5%) “Especialistas das atividades intelectuais e científicas” (10,0%).

A zona do Algarve foi, segundo a nota, a zona do país onde houve o maior aumento homólogo do número de desempregados (mais de 41%).

Fonte: IEFP

Segundo os dados, há 131.429 desempregados de longa duração: menos 9,3% comparação homóloga (-13.455 pessoas) e mais 4,5% face ao mês anterior (+5.638 pessoas).