O Ministério da Saúde garante todos os profissionais de saúde, médicos e enfermeiros, que estão em contacto com doentes infetados estão a ser testados. A garantia foi dada pelo secretário de Estado da Saúde durante a habitual conferência de imprensa da DGS para dar conta da evolução diária da pandemia em Portugal, quando questionado sobre um estudo da Fundação Champalimaud que indica que pode haver mais profissionais de saúdes infetados.

António Lacerda Sales começou por dizer que não iria comentar o estudo por desconhecer os métodos e os contornos exatos, mas explicou que “sempre que um doente Covid-19 testou positivo, todos os contactos profissionais próximos – assintomáticos ou não – foram testados exaustivamente pelas equipas das respetivas instituições”. “Todos os profissionais das estruturas desativadas foram também testados e foi distribuído material de proteção individual”, acrescentaria ainda.

Quanto ao número de óbitos desta sexta-feira, Graça Freitas confirmou que houve apenas 6 mortes nas últimas 24 horas, o que é o número mais baixo desde o dia 21 de março. Em termos globais, a diretora geral-de saúde sublinha que houve apenas uma morte em Portugal na faixa etária dos 20-29 anos, sendo que essa foi a pessoa mais nova a morrer. De resto, a grande maioria dos mortos regista-se na faixa etária acima dos 70 anos (86,6%), sendo que “a grande maioria” das mortes tinha sempre doenças prévias associadas, as chamadas comorbidades. “Só em situações muito pontuais, casos muito esporádios é que os médicos não registaram nenhuma comordidade”, sublinhou Graça Freitas na mesma conferência de imprensa.

Zahirul vivia em Portugal há nove anos e estava a preparar-se para trazer a família. Morreu aos 29, sem chegar a conhecer o filho mais novo

Criança portuguesa com sintomas semelhantes a doença de Kawasaki “já teve alta”

Questionada sobre o panorama português da síndrome respiratória que tem sintomas semelhantes à doença de Kawasaki, que atinge as crianças e que parece estar associada à Covid-19, Graça Freitas afirma que o caso que foi registado em Portugal já foi reportado internacionalmente, e, “felizmente”, a situação da criança evoluiu bem” e já “teve alta”.

“Estamos atentos nos serviços de pediatria”, disse, afirmando que a situação sobre esta criança portuguesa já consta de um boletim internacional de casos publicado pelo ECDC (Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças).

Questionada ainda sobre o uso da hidroxicloroquina para tratar a Covid-19, Graça Freitas rejeitou implicações negativas ou indicações para o medicamente ser desaconselhado. Disse apenas que se trata um medicamento que deve ser usado de acordo com os seus riscos e benefícios, sendo a decisão de o usar uma decisão médica. “Tanto quanto sabemos não foram reportadas situações adversas em Portugal no âmbito da fármaco-vigilância”, disse.

Índice de transmissão está em 0,97 e com diferenças “pequenas” entre regiões

Sobre o índice de transmissão (o chamado RT), a diretora-geral da DGS diz que o RT total no país está em 0,97, com pequenas variações nas regiões. Na região centro, o índice de contágio é de 1.03, mas “as diferenças são muito pouco significativas entre regiões”, disse.

Questionados sobre o facto de o Governo estar a avançar para uma nova fase de desconfinamento sem ter tido tempo de avaliar o impacto da primeira fase, António Lacerda Sales desvalorizou. Disse apenas que não é altura para fazer balanços porque “estamos numa monitorização permanente do surto” e a “acompanhar de forma permanente o impacto das medidas”.

“Não é o tempo de balanços, mas de olhar os números com prudência. Desde 4 de maio, assistimos a uma redução de mais de 17% do número de doentes em internamento hospitalar e de 16% nos internamentos nos cuidados intensivos. Os casos recuperados tiveram um aumento superior a 90%, mas isto não significa que vamos relaxar as medidas de distanciamento e de higiene”, sublinhou o secretário de Estado da Saúde.

De acordo com António Lacerda Sales, já foram feitos 600 mil testes de diagnósticos à Covid-19. E garantiu que o desconfinamento não significou uma desaceleração na contagem e na realização de testes para apurar novos casos. Segundo o secretário de estado, o dia 13 de maio foi o dia em que foram realizados mais testes, com 17.500 realizados numa rede composta por de 78 laboratórios.

O número de testes, casos e a comparação com outros países, em números absolutos e por milhão de habitantes, é atualizada diariamente neste artigo.

Covid-19. Como Portugal se compara com outros países em número de casos, mortos e testes