A Liga italiana de futebol vai continuar suspensa até 14 de junho, face à proibição da realização de eventos desportivos no país até meados do próximo mês, devido à Covid-19, anunciou esta segunda-feira a Federação Italiana de Futebol (FIGC).

Uma vez que o governo de Itália proibiu “eventos e competições desportivas, públicos ou privados, de todas modalidades, até 14 de junho”, a FIGC informou, através de comunicado, que vai prolongar a suspensão das competições sob a sua alçada pelo mesmo período e “até indicações em contrário por parte das autoridades competentes”.

Tal como a Serie A, também a Taça de Itália continuará suspensa.

Na semana passada, os clubes que integram a Serie A, o primeiro escalão do futebol italiano, tinham acordado retomar a prova em 13 de junho, à porta fechada, “respeitando as medidas do governo e os protocolos médicos para proteção dos jogadores e de todos os profissionais”, referiu na altura a Liga de clubes transalpina.

Entretanto, no domingo, a Federação Italiana de Futebol enviou ao ministro do Desporto um novo protocolo sanitário tendo em vista o regresso da atividade futebolística, no qual promete intensificar os testes e controlos médicos.

A Liga italiana foi interrompida em 9 de março, quando estavam decorridas 26 jornadas, devido à crise de saúde pública motivada pela pandemia de Covid-19, que já matou 32.007 pessoas entre mais de 226 mil casos de infeção em Itália.

Após a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas de quase todas as modalidades foram disputadas sem público, adiadas – Jogos Olímpicos Tóquio2020, Euro2020 e Copa América -, suspensas, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais, ou mesmo canceladas.

Os campeonatos de futebol de França, Países Baixos, Bélgica e Escócia foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso à competição, com fortes restrições, como sucede em Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, que tem o reinício da I Liga previsto para 4 de junho, depois de a Liga alemã ter sido retomada no sábado.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 315.000 mortos e infetou mais de 4,7 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 1,7 milhões de doentes foram considerados curados.