Um monumento em homenagem ao tenista Arthur Ashe em Richmond, uma localidade em Virginia (EUA) foi vandalizado quarta-feira por um homem que pintou  com spray branco as letras “WLM” e a frase “White Lives Matter”, mesmo sabendo que havia quem o estivesse a fotografar. Alguém pintou depois, sobre a tinta branca, as letras “BLM” (Black Lives Matter) a rosa.

Como recorda o The New York Times, Ashe, que nasceu em Richmond, foi o primeiro negro a ganhar o Wimbledon, o Open de Australia e o Open dos EUA e uma estátua em sua honra foi erguida na Avenida dos Monumentos.

Testemunhas no local disseram que viram um homem de t’shirt azul, boné vermelho e com a cara coberta com uma bandeira norte-americana a pintar as letras “WLM” na estátua. Houve mesmo quem o fotografasse e a imagem está agora a circular nas redes sociais.

“Vocês marcaram a minha estátua, por isso vou agora marcar a vossa”, terá dito o homem a uma das pessoas que o interpelou.

O mesmo homem terá voltado mais tarde para limpar as letras rosa que entretanto alguém pintou com spray sobre as letras que ele tinha pintado. “Eu não sou racista, apenas não concordo com a profanação da nossa propriedade”, disse, citado pelo The New York Times.

A estátua foi entretanto limpa por voluntários numa altura em que Virginia enfrenta, há já duas semanas, protestos contra o racismo e  violência policial, assim como está acontecer noutros estados norte-americanos — depois do vídeo que mostra George Floyd a ser detido pela polícia e imobilizado até perder os sentidos e morrer.

Esta quinta-feira alguns jornais internacionais anunciaram que a vida do tenista vai ser retratada num filme biográfico escrito por  Kevin Willmott.