Ter estado gravemente doente com Covid-19 fez o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, abandonar as suas “opiniões libertárias” sobre a vida pessoal e a saúde de cada um. “Seremos mais felizes e mais elegantes, além de mais resistentes a doenças como a Covid-19 se combatermos a obesidade“, afirma, agora, Boris Johnson, que garante estar numa condição física tão boa quando “o cão de um talhante”.

Em entrevista à Times Radio, esta segunda-feira, Boris Johnson confirmou que “anteriormente tinha uma visão muito libertária em relação à obesidade”. “Mas quando se olha, realmente, para os números, quando se olha para a pressão sobre o Serviço Nacional de Saúde, quando se compara este nosso maravilhoso país com outros países europeus, somos significativamente mais gordos do que a maioria“, afirmou o primeiro-ministro britânico.

Johnson reconhece que não é “fácil” resolver este problema, do ponto de vista dos responsáveis políticos, mas adianta que vai “cuidadosamente” estudar os argumentos que possam vir a justificar alguma medida política direcionada para tentar atenuar os índices de obesidade britânicos. “Certamente temos de ter uma preocupação com a saúde da nossa população”, comentou.

Depois de ter estado nos cuidados intensivos, consequência da infeção pelo novo coronavírus, Boris Johnson tem adotado um regime de dieta e exercício para reduzir o peso. O jornal The Sun publicou uma fotografia de Boris Johnson a fazer flexões no seu gabinete em 10, Downing Street, a residência oficial do chefe de governo britânico.

“Nunca me senti melhor”, diz Boris Johnson. Imagem: The Sun.

“Estou em tão boa forma como um cão de um talhante. Nunca me senti melhor”, assinalou o primeiro-ministro britânico, citado pelo The Sun.

Johnson, que tem 56 anos, passou a acordar mais cedo para fazer jogging às 6h30 da manhã, acompanhado pelo cão. Isto mesmo tendo de acordar durante a noite para mudar a fralda ao seu filho, recém-nascido.