O Santuário de Fátima recebeu este fim de semana milhares de pessoas naquela que é a penúltima peregrinação anual por ocasião das aparições de Nossa Senhora de Fátima aos pastorinhos. Depois de um 13 de maio sem peregrinos, a peregrinação de agosto foi a primeira a acolher peregrinos estrangeiros e, agora em setembro, pela primeira vez o santuário viu-se na obrigação de fechar as entradas por ter atingido a lotação máxima permitida.

Peregrinação sem peregrinos. As melhores imagens do 13 de Maio histórico no Santuário de Fátima

Nas imagens transmitidas em direto no Youtube é possível constatar que os peregrinos respeitam o distanciamento social e que, mesmo ao ar livre, usam máscara facial, sendo no entanto vísiveis alguns ajuntamentos nomeadamente junto às árvores que, durante a missa, faziam alguma sombra no recinto.

De acordo com a informação disponível na página do Santuário de Fátima esteve um grupo de peregrinos de França, dois de Itália, quatro de Espanha, um da Polónia e nove portugueses. A porta-voz do Santuário não acrescentou no entanto quantos peregrinos estiveram, no total, confirmando apenas que “os parques de estacionamento a norte do santuário e o parque 11 e 12 estiveram na sua lotação máxima, mas os 13 e 14 ainda estão muito aquém da sua capacidade máxima”.

Em declarações à Rádio Renascença, a porta-voz do santuário Carmo Rodeia justifica a elevada adesão à peregrinação com o facto de ter coincidido com o fim de semana. Já sobre o cumprimento da regras de segurança, frisou que existiu “um uso generalizado da máscara” e recordou os avisos que o santuário faz “ao longo da celebração para que as pessoas possam manter o distanciamento social” e que eram audíveis na transmissão através da internet. Também no final da missa foi feito um pedido aos peregrinos para que mantivessem os lugares onde estavam, para que as saídas do recinto pudessem ser organizadas para diminuir os cruzamentos entre os presentes.

“Encerrámos por completo as entradas pelos túneis e monitorizámos, com a colaboração da GNR, todas as restantes entradas”, explicou a porta-voz à Renascença. Segundo Carmo Rodeia desde agosto que o santuário “monitoriza as entradas” uma vez que “as pessoas têm participado muito na missa dominical às 11 horas”.