O governo britânico impôs uma série de novas medidas de contenção de propagação do novo coronavírus, que tem registado um aumento significativo no Reino Unido nas últimas semanas, sobretudo em Inglaterra. Estas incluem a proibição de música acima dos 85 decibéis em pubs, bares e restaurantes, uma regra que não se aplica a concertos ou espetáculos. A par disto, os proprietários dos estabelecimentos devem fazer de tudo para evitar que grupos com mais de seis pessoas cantem e dancem, explica o The Guardian.

As novas medidas incluem também multas para quem não cumprir o confinamento obrigatório. Estas começam nas mil libras (1.095 euros) e podem chegar às 10 mil (cerca de 11 mil euros), se o doente insistir em não cumprir as regras. Se entrar em contacto com um número significativo de pessoas, poderá ter de pagar 4 mil libras (4,4 mil euros). A polícia está autorizada a levar indivíduos em confinamento à força para casa.

Quem tentar levar alguém a fazer quarentena, denunciando essa pessoa como sendo um doente com Covid-19 apesar de não o ser, receberá uma multa de mil libras. Da mesma forma, quem fornecer falsas informações às autoridades, poderá ter de pagar também mil libras. Um empregador que tente obrigar um trabalhador a isolar-se poderá ser multado em 50 libras (55 euros). Por outro lado, se tentar obrigar um trabalhador que deve estar em isolamento a ir trabalhar, poderá receber uma multa de até 10 mil libras.

Estas regras serão revistas dentro de seis meses, mas poderão durar até um ano se o governo assim o decidir, refere o The Guardian.

Aumento exponencial no número de casos no nordeste de Inglaterra leva a medidas excecionais

A par destas medidas, entrará esta quarta-feira em vigor um outro conjunto de regras que será aplicado a sete zonas do nordeste de Inglaterra — Durham, Gateshead, Newcastle, Northumberland, North Tyneside, South Tyneside e Sunderland –, que afetarão cerca de dois milhões de pessoas, de acordo com a BBC. O ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, que anunciou as medidas, explicou que os casos nesta região “aumentaram muito” e que havia mais de 100 casos por cada 100 mil habitantes

Segundo estas, os ingleses que habitam nestas zonas só poderão socializar com as pessoas com quem habitam e receber ou fazer visitas domiciliárias em circunstâncias muito específicas, como para dar assistência a uma pessoa vulnerável ou para ajudar numa mudança. Quem desrespeitar esta regra, poderá ter de pagar uma multa que pode chegar às 6.400 libras (7.014 euros), alerta o The Guardian.

A regra por si não é nova (noutras zonas de Inglaterra, incluindo no nordeste, era já ilegal o convívio entre diferentes agregados familiares dentro de casa ou no jardim), o que é novo é a proibição de socialização em estabelecimentos comerciais, explica a BBC.

“Infelizmente, o número de casos continua a subir drasticamente”, afirmou Matt Hancock. “Sabemos que um grande número destas infeções acontece noutros lugares fechados além das habitações. Por isso, a pedido das assembleias locais com quem temos estado a trabalhar, vamos introduzir restrições legais para o convívio entre agregados familiares em qualquer circunstância.”

Outras regras incluem o encerramento de locais de entretenimento entre as 22h e as 5h. Pubs, restaurantes e bares só poderão ter serviço de mesa e os habitantes das localidades afetadas vão ser aconselhados a usarem os transportes públicos apenas quando for estritamente necessário, para deslocações para o trabalho ou escola, e a não frequentarem eventos desportivos.

Segundo explica o The Guardian, a situação será revista semanalmente e as medidas adaptadas à situação.