A Universidade de Évora anunciou esta segunda-feira a abertura de uma pós-graduação em Epidemiologia para fornecer competências acrescidas a profissionais de saúde, autárquicos e do setor social na gestão quotidiana de surtos epidémicos, como a Covid-19.

“A Universidade de Évora (UÉ) reforça o seu posicionamento na área da saúde com a abertura de um curso de Pós-Graduação em Epidemiologia”, disse esta segunda-feira a academia, em comunicado, indicando que as candidaturas são “online” e estão abertas até ao próximo dia 23. Segundo a UÉ, “a atual pandemia de Covid-19 veio revelar a necessidade de todos os profissionais de saúde, autárquicos e do setor social terem competências acrescidas na gestão quotidiana do surto epidémico que atinge o país ou noutros que possam vir a ocorrer no futuro”. Este curso pretende, pois, “dar contributos e instrumentos que permitam aos profissionais da área da saúde, do setor social e autárquico desenvolver competências analíticas e operacionais para a tomada de decisão e ação em situações de surtos epidémicos, nacionais e internacionais, como aquele que se vive atualmente” no âmbito do coronavírus SARS-CoV-2, frisou.

A formação tem início marcado já para novembro e vai funcionar em regime diurno, com aulas às quintas e sextas-feiras, sendo suportada cientificamente pela Escola Superior de Enfermagem S. João de Deus da UÉ. A reitora da academia alentejana, Ana Costa Freitas, considerou a oferta “mais um passo na construção da futura escola na área da Saúde da Universidade de Évora”, um projeto pedagógico e científico que vincou ser “bastante inovador e onde o foco será a saúde pública”.

Epidemiologia e Saúde Pública, Contingência e Gestão do Risco e Abordagem Epidemiológica Baseada no Percurso de Vida integram o conteúdo programático da pós-graduação, oferecida a partir de dois cursos de formação, cada um com 30 ECTS (em português Sistema Europeu de Transferência e Acumulação de Créditos). Os estudantes que completarem os 60 ECTS do curso obtêm o certificado de pós-graduação, acrescentou a UÉ, precisando ainda que, aqueles que completarem apenas um dos cursos de formação, terão acesso apenas ao certificado respetivo de conclusão do curso. Os profissionais que optarem por realizar esta pós-graduação vão poder exercer as competências adquiridas no curso em organizações de saúde, do setor social ou autárquico. O objetivo é que possam estar habilitados a atuar quando sejam chamados “a lidar com as questões relacionadas com surtos epidémicos, nomeadamente a contingência e respetivas fases, declaração de risco, programas/medidas de isolamento, vigilância epidemiológica ou comunicação de risco”, acrescentou a UÉ.