Cerca de 200 turistas britânicos, que estavam obrigados a cumprir uma quarentena de dez dias numa estância de esqui na localidade suíça de Verbier, fugiram clandestinamente durante a noite, conforme divulgado este domingo.

Estes cerca de 200 turistas britânicos fazem parte de um grupo de 420 abrangidos pelas medidas de quarentena impostas pelo Governo da Suíça aos viajantes do Reino Unido, após o surgimento naquele país de uma nova variante do vírus da Covid-19, segundo noticia a agência AFP.

As medidas foram anunciadas no dia 21 de dezembro e incluíam todas as pessoas que tivessem chegado do Reino Unido desde 14 de dezembro, lembra o jornal The Guardian.

Estes turistas encontravam-se na estância de esqui de Verbier, situada na comuna de Bagnes. A aldeia, também chamada “Pequena Londres”, é um destino muito popular entre os britânicos, cerca de 20% dos turistas durante uma época de inverno normal.

Segundo explicou o responsável de comunicação da comuna de Bagnes, Jean-Marc Sandoz, a partir da implementação destas restrições, alguns turistas britânicos decidiram regressar ao Reino Unido, mas outros acabaram por permanecer na estância de esqui de Verbier.

“Não se pode culpá-los. Para a maioria, a quarentena era insustentável. Imagine moverem-se quatro pessoas num quarto de hotel de 20 metros quadrados”, justificou.

Jean Sandoz referiu que a fuga dos turistas britânicos só foi detetada após o pessoal do hotel ter reparado que os tabuleiros de refeição permaneciam intactos.

A nova variante do coronavírus SARS-CoV-2 identificada no Reino Unido, e que se tornou dominante no país em pouco tempo, está a inquietar o mundo. Neste momento, está a circular em vários países e territórios, dentro e fora da Europa — Suécia, Itália, Holanda, Alemanha, França, Espanha, Dinamarca, Liechtenstein, Suíça, Canadá, África do Sul e no Japão. Também já foi detetada na ilha da Madeira.

Na sequência da identificação desta nova variante do SARS-CoV-2, diversos países, dentro e fora da Europa, decidiram suspender as ligações, nomeadamente aéreas, com o Reino Unido, uma lista que tem vindo a aumentar nas últimas horas.

A pandemia de Covid-19 provocou pelo menos 1.758.026 mortos resultantes de mais de 80,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP. A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.