Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Começa esta segunda-feira a terceira fase do desconfinamento em Portugal, que inclui o regresso às aulas presenciais nos ensinos secundário e superior. Contudo, no caso deste último, a retoma será feita apenas parcialmente, com muitos estabelecimentos de ensino a optarem por manter um sistema misto, com aulas presenciais e à distância, de modo a garantir a segurança de alunos e corpo docente. A media não surge como uma surpresa — o ensino superior nunca regressou totalmente ao ensino presencial desde que a pandemia começou.

No regresso aos estabelecimentos de ensino, universidades e politécnicos optaram por sistemas diferentes, como explica esta segunda-feira o Público (artigo para assinantes). No caso dos primeiros, “tirando algumas exceções que não devem ser confundidas com o todo, as universidades irão retomar as atividades nos mesmos moldes em que decorreu todo o primeiro semestre deste ano letivo. Ou seja, em regime de ensino misto, com turmas divididas por turnos entre ensino presencial e a distância, privilegiando, sempre que possível a realização presencial das aulas práticas”, refere uma mensagem do presidente do Concelho de Reitores das Universidades Portuguesas (CRUP), António de Sousa Pereira, citada pelo mesmo jornal.

Em relação aos politécnicos, está previsto um regresso faseado, a começar pelas áreas consideradas prioritárias para o ensino presencial. Os cursos de ciências empresariais e humanidades deverão regressar a 26 de abril e 3 de maio, refere o Público. A necessidade de retomar em pleno as aulas presenciais nestes estabelecimentos tem a ver o tipo de cursos que estes apresentam, onde “a componente prática e laboratorial é essencial”. É o caso, por exemplo, da enfermagem, fisioterapia ou outros cursos das tecnologias da saúde, apontou ao Público o presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP), Pedro Dominguinhos.

Segundo o jornal, este universo das aulas práticas e laboratoriais, os cursos técnicos superiores profissionais e os alunos do primeiro ano da maioria dos cursos, retomam esta segunda-feira as aulas presenciais. “Cerca de um terço regressará na segunda, outro na semana seguinte e outro terço a partir de 3 de maio. A prioridade serão os cursos das áreas de saúde e as aulas laboratoriais e práticas”, frisou Pedro Dominguinhos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR