A Maserati optou por introduzir alterações nos três principais modelos da sua gama, tornando-os mais apetecíveis aos olhos dos potenciais clientes. Referimo-nos às berlinas Ghibli e Quattroporte, bem como ao SUV Levante, uma vez que o novo superdesportivo MC20, de dois lugares e 630 cv, ainda não chegou a todos os mercados. As melhorias correspondem à adopção de três novos níveis de equipamento, respectivamente o GT, Modena e Trofeo.

Trofeo é o nível de acabamentos mais exuberante e desportivo, à altura de uma marca que também se apresenta no mercado como um fabricante com raça, capaz de propor veículos potentes e que garantam prazer de condução. O motor à disposição destas versões é sempre o V8 Twin Turbo com 3,8 litros e 580 cv. Abundam as aplicações em fibra de carbono, jantes de grandes dimensões de série (21”) e maxilas de travão em vermelho, aliadas a um interior mais luxuoso, com bancos mais envolventes e revestidos a pele natural de grão integral, denominada Pieno Fiore.

3 fotos

A versão intermédia, em termos de sofisticação e de custo, é a Modena, destinada a clientes que querem potência e emoção a bordo, especialmente quando esmagam o pedal do acelerador, mas de forma mais comedida. O motor a que está associada é o 3.0 V6 sobrealimentado, que nas versões S dos Ghibli, Quattroporte e Levante fornece 430 cv, estando limitado a 350 cv nas versões ditas normais dos três modelos. Por dentro, os bancos em pele surgem associados a acabamentos em Black Piano, para o Quattroporte e Levante, enquanto Ghibli exibe o Dark Mirror.

3 fotos

O nível GT favorece o charme e a elegância da Maserati, apostando em inserções cromadas, interior revestido a pele e jantes de 18”, contra as 20” dos Modena. O motor dos Maserati GT é o 2.0 sobrealimentado e mild hybrid, com quatro cilindros e 330 cv, excepto no Quattroporte, onde cede o seu lugar ao 3.0 V6 com 350 cv.

Os novos níveis de acabamento são referentes ao MY22, estando disponíveis para encomenda desde 1 de Julho.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR