O tenista sérvio Novak Djokovic, número um do ranking mundial, considerou nesta quarta-feira que a “pressão é um privilégio”, uma vez que, “sem ela, não pode existir desporto profissional”.

A pressão é um privilégio. Sem ela, não há desporto profissional. Para ter a esperança de permanecer no topo de um desporto, é preciso aprender a lidar com a pressão”, disse o líder da hierarquia ATP.

Esta análise de nole surge na sequência da renúncia por parte da ginasta norte-americana Simone Biles, que vai falhar a final individual do all-around e desfalcou a seleção em plena final feminina por equipas dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, devido a problemas de saúde mental.

Simone Biles desiste da final do all-around: “A sua coragem mostra, mais uma vez, o porquê de ser um exemplo para tantos”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O sérvio, que procura tornar-se no primeiro tenista a vencer os quartos majors e o ouro olímpico no mesmo ano, garantiu que a sua mentalidade foi um fator crucial para explicar a sua longevidade. “Dentro e fora do campo, todas as expectativas. Aprendi a desenvolver um mecanismo para gerir isto, para que não me incomode mais, não me canse”, explicou.