Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O vulcão de La Palma continua a registar vários sismos desde que entrou em erupção, e na terça-feira à noite registou o maior até ao momento com 4,8 de magnitude na Escala de Richter, de acordo com o Instituto Geográfico Nacional espanhol (IGN) citado pela agência noticiosa EFE.

O terramoto ocorreu às 22h48 (hora das Canárias) e teve o seu epicentro em Villa de Mazo, a uma profundidade de 39 quilómetros, e terá sido seguido de mais sete eventos sísmicos com magnitude superior a 3.

Vulcão de La Palma entra em fase de “estabilidade e lentidão”. Alunos de volta à escola, mas com planos contraditórios

Este terramoto acontece exatamente um mês depois de o vulcão ter entrado em erupção, a 19 de setembro, sendo que nos últimos dias tinham-se já registado vários sismos com magnitude semelhante mas nunca tão elevada, tendo o último decorrido há três dias e registado uma magnitude de 4,6.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O vulcão entrou já numa fase de “estabilidade“, tendo até milhares de alunos já voltado à escola na região de La Palma. Os últimos dados indicam que o vulcão já foi responsável pela destruição de quase dois mil edifícios e que as línguas de lava já cobrem mais de 760 hectares.